quinta-feira, 14 de janeiro de 2021

MÚSICO ALDO MORAES É ENTREVISTADO NO PROGRAMA MENTES BRILHANTES


POR COVID: MORRE JORNALISTA ALGACI TÚLIO



Faleceu na manhã de quarta-feira (13) o jornalista, radialista e político Algaci Tulio, em Curitiba, por complicações causadas pela Covid-19. Algaci tinha 80 anos e foi importante no quadro político na capital paranaense, eleito por vários mandatos como vereador e deputado estadual, além de vice-prefeito de Curitiba por duas ocasiões.


segunda-feira, 11 de janeiro de 2021

PIONEIRO DO SURF, CARLOS TWIN MORRE EM SP

 

© Fornecido por Hardcore

Pioneiro do surf nacional e figura fundamental na consolidação desse esporte na Baixada Santista, Carlos Argento, mais conhecido como Carlinhos Twin, faleceu vítima de câncer na manhã deste domingo (10).

Carlinhos lutava contra a doença a cerca de um ano, porém, nos últimos meses o quadro foi se agravando com bastante intensidade, sendo necessária sua internação na Santa Casa de São Paulo.

Carlinhos e irmão gêmeo, Eduardo, o Dudu, morto em 2013, fundaram, em 1971, em São Vicente, a Twin, primeira surf shop da Baixada Santista, e umas das primeiras do Brasil.

Dudu e Carlinhos pavimentaram os caminhos do que viria a ser o surf profissional em São Paulo. Foto: Paulo Camargo© Fornecido por Hardcore Dudu e Carlinhos pavimentaram os caminhos do que viria a ser o surf profissional em São Paulo. Foto: Paulo Camargo

Carlos e Eduardo tiveram seu contato com o surf em 1964, após assistirem a uma exibição do filme “Mar Raivoso”, em um cinema de Santos.

A história, embalada pela recém-criada surf music, retratava as aventuras de um grupo de jovens nas ondas do Havaí.

Foi como se um portal para uma nova dimensão se abrisse para os irmãos.

Absolutamente envolvidos por aquela atmosfera mágica, os irmãos decidiram que a partir daquele momento se tornariam surfistas.

O primeiro passo foi construir suas próprias pranchas, feitas de madeirite, e então se juntaram ao pequeno grupo de surfistas que desfrutava das ondas de Santos e São Vicente.

As pranchas produzidas pelos irmãos fizeram sucesso e eles começaram a produzir novas pranchas de madeirite para amigos.

Era a semente da Twin que começava a germinar.

Em 1971 veio a primeira loja Twin, na praia do Itararé, em São Vicente, um dos epicentros do surf paulista na época.

sábado, 9 de janeiro de 2021

RÁDIO DA CAIXOLA PARA O MUNDO INICIA 2021 COM PROGRAMAS ESPECIAIS



 


MUSEU OSCAR NIEMEYER REABRE AO PÚBLICO

 

O Museu Oscar Niemeyer (MON) reabre ao público neste sábado (9/1) seguindo orientações de segurança determinadas pela Secretaria de Estado da Saúde. Em 2020, devido à pandemia, o MON ficou fechado ao público no período de 17/3 a 16/10 e após 6/12.

Entre as várias medidas adotadas está o limite de pessoas para visitação nas salas expositivas e em todo o Museu, para garantir o distanciamento seguro. O material impresso, como guias e folders, foi substituído por versões digitais, disponíveis por QR codes.

Apesar do fechamento temporário, nos últimos meses o Museu inaugurou seis exposições físicas, que podem ser vistas agora pelo público. São elas: “Ásia: a Terra, os Homens, os Deuses – Segunda Edição”; “Tony Cragg – Espécies Raras”; “Gente no MON”, de Dico Kremer; “A Violência sob a Delicadeza”, de Vera Martins; “Yutaka Toyota – O Ritmo do Espaço” e “Fernando Velloso por ele mesmo”.

Também estão em cartaz atualmente no MON as mostras: “O Mundo Mágico dos Ningyos”; “Luz ≅ Matéria”; “África, Mãe de Todos Nós”; “Museu em Construção”; “Espaço Niemeyer”; “Cones” e obras do Pátio das Esculturas.

 

PROTOCOLO DE SEGURANÇA MON

- Será permitida a entrada de até 200 pessoas simultaneamente.

- Prefira horários com menor fluxo de público: pela manhã ou após as 16h.

- Prefira a compra do ingresso pelo nosso site – é rápido, seguro e você não precisará passar pela bilheteria.

- Caso compre o ingresso na bilheteria, você contará com uma sinalização especial para evitar aglomerações, além de orientações de nossa equipe.

- Para uma visita mais segura, use máscaras de proteção. Se achar necessário, traga mais de uma para que possa substituí-la ao longo da visita. Caso tenha esquecido de trazer a sua, não se preocupe, você poderá adquiri-la na MON Loja.

- Em caso de filas, pedimos que respeite as marcações de solo que indicam a distância segura de dois metros.

- Você vai sentir nossa preocupação com a sua segurança logo na entrada do Museu (detector de metais), onde será feita a aferição de temperatura corporal e a higienização individual de bandejas porta-objetos e outros itens. Tapetes desinfetantes também foram instalados nesse local, para garantir a higienização dos calçados.

- Já na entrada e depois, em diversos locais do Museu, você encontrará dispensadores com álcool em gel 70%. Assim, poderá higienizar suas mãos sempre que quiser.

- Nosso guarda-volumes estará aberto e devidamente higienizado (inclusive as chaves), e você contará com embalagens plásticas individuais para colocar seus pertences antes de guardá-los nos armários. Lembrando que o ideal é que traga sempre o mínimo possível de objetos ao Museu. Líquidos, alimentos, mochilas e bolsas grandes devem sempre ser guardados.

- Como medida preventiva, os empréstimos de cadeiras de rodas e de carrinhos de bebê estão temporariamente suspensos para que não sejam compartilhados.

- Pessoas com mobilidade reduzida terão prioridade no uso dos elevadores e eles estarão liberados para uso individual ou por pessoas de um mesmo grupo de convivência (famílias, por exemplo).

- A visitação das salas expositivas, bem como de todo o Museu, terá um limite de pessoas, pois, apesar de serem amplas, precisamos seguir o distanciamento entre os visitantes.

- Sugerimos algumas rotas dentro do Museu (sinalizadas nos pisos), bem como uma indicação dos sentidos para subida e descida nas rampas, para deixar o fluxo mais organizado e seguro.

- Para sua segurança, procure não tocar nos corrimãos, portas e outros objetos, como expositores de vidro. Embora devidamente higienizados, o ideal é evitarmos o contato neste momento.

- Tanto nas salas expositivas quanto no Pátio das Esculturas, reforçamos a solicitação de não tocar nas obras, para preservá-las e para sua maior segurança.

- Nosso material informativo, como guia da programação e folders das exposições, foi substituído do papel para versões digitais, disponíveis por QR codes, que você encontrará na entrada do Museu e também nas salas expositivas.

- Nosso Centro de Documentação está temporariamente fechado para visitas e consultas presenciais, mas solicitações de pesquisa podem ser encaminhadas pelo e-mail pesquisa@mon.org.br.

- As oficinas artísticas e as visitas mediadas acontecem agora de forma virtual. Acompanhe nossas redes sociais e consulte o site do Museu.

- Pessoas cegas ou com baixa-visão que desejem visitar o espaço tátil do programa MON Para Todos deverão obrigatoriamente agendar a sua visita pelo e-mail agendamento@mon.org.br, para que possamos organizar as medidas de higienização necessárias. Por segurança, o acesso a esse espaço não está disponível para os demais visitantes.

 

Serviço

Museu Oscar Niemeyer

Rua Marechal Hermes, 999 – Centro Cívico – Curitiba – Paraná

Visitação: terça a domingo, das 10h às 18h

www.museuoscarniemeyer.org.br

 

LINK PARA IMAGENS: https://drive.google.com/drive/folders/1i9ZuOcvK40e-yAa8WpU6CAyWGPAsCtTo?usp=sharing

MORRE VJ E YOUTUBER DANIEL CARVALHO

 


O ex-apresentador da MTV e da Band Daniel Carvalho, conhecido por interpretar a personagem Katylene, morreu, aos 32 anos, na noite da última sexta-feira (8). Segundo o colunista Fefito, do portal UOL, ele estava internado com problemas renais, desde o fim do ano passado, em um hospital do Rio de Janeiro.

Sucesso na internet, Daniel virou VJ da MTV em 2010. Dois anos depois, fez parte da equipe do programa “Muito Mais”, apresentado por Adriane Galisteu na Band.

Nos últimos anos, o influenciador se dedicou à criação de conteúdo nas redes sociais.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2021

MORRE O MESTRE DO FORRÓ GENIVAL LACERDA



O cantor e compositor Genival Lacerda morreu aos 89 anos, no Recife, em decorrência de complicações da Covid-19, nesta quinta-feira (7). A informação foi confirmada pelo filho dele, João Lacerda.

O artista foi internado no dia 30 de novembro de 2020, no Hospital Unimed I, na Ilha do Leite, na área central da capital pernambucana. Com Covid-19, ele foi levado para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI). 

Genival Lacerda foi um dos grandes nomes do forró e, com carisma e irreverência, se tornou um ídolo popular. Conhecido por todo o Brasil durante 64 anos de carreira, era um símbolo da cultura do Nordeste.

O cantor e compositor nasceu em Campina Grande, na Paraíba, em 5 de abril de 1931. Chegou a trabalhar na cidade como radialista, mas fez a primeira gravação como cantor quando já morava em Recife, para onde se mudou em 1953.

Genival gravou seu primeiro disco em 1956, um compacto duplo com "Coco de 56", escrito por ele e João Vicente, e o xaxado "Dance o xaxado", feito por ele com Manoel Avelino. Ele gravou diversos álbuns e ficou conhecido pelo Nordeste como músico e radialista durante esta fase no Recife. 


Em seguida, vieram sucessos como "Radinho de pilha", "Mate o véio" e "De quem é esse jegue", que consolidaram o estilo bem humorado do "seu Vavá", como também era conhecido. 



O músico viveu no Rio durante o auge da popularidade do forró no Sudeste, e conviveu com outros artistas fundamentais do estilo como Dominguinhos e Luiz Gonzaga. 


Com Jackson do Pandeiro, teve uma relação ainda mais próxima, mesmo sendo bem mais novo. A irmã de Jackson, Severina, foi casada com um irmão de Genival.

Desde os anos 90, voltou a morar no Recife e, em 2016, ganhou título de cidadão recifense da Câmara dos Vereadores. Nos últimos anos, não tinha novos sucessos nas rádios, mas manteve o ritmo de shows e o reconhecimento popular.

No final de 2017, recebeu no Palácio do Planalto a medalha da Ordem do Mérito Cultural (OMC). Na cerimônia, Genival tirou seu chapéu estampado de bolinhas ao passar diante do então presidente Michel Temer.

Na sexta-feira (8), estava previsto o lançamento de uma faixa do DVD "Minha Estrada", com a participação de artistas nordestinos, que foi gravado no Teatro Boa Vista, em agosto 2019. Em 13 de dezembro, aniversário de Luiz Gonzaga, foi feito o primeiro lançamento de faixa.

Apesar do falecimento de Genival, o lançamento da canção com o artista Zé Lezin, está mantido. "O artista faleceu, mas a obra dele vai ficar", disse a assessora da família, Manuela Alves. Ao todo, são 15 faixas, com um lançamento por mês. A divulgação acontece pelas redes sociais e por plataformas digitais.