domingo, 23 de abril de 2017

I CONCURSO NACIONAL DE COMPOSIÇÃO JORGE ANTUNES


120 ANOS: Ä BENÇÃO PIXINGUINHA

Nome Completo 

Alfredo da Rocha Viana Filho

Quem foi

Pixinguinha foi compositor, arranjador, flautista e saxofonista brasileiro. É considerado um dos mais importantes compositores da MPB (Música Popular Brasileira).

Nascimento

Pixinguinha nasceu na cidade do Rio de Janeiro (RJ) em 23 de abril de 1897.

Morte

Pixinguinha morreu na cidade do Rio de Janeiro (RJ) em 17 de fevereiro de 1973.

Gêneros musicais

Choro
- Maxixe
- Samba
- Valsa

Instrumentos que tocava

Saxofone e Flauta.

Principais composições 

A pombinha com Donga
A vida é um buraco
Aberlado
Abraçando Jacaré
Aguenta, seu Fulgêncio - em parceiria com Lourenço Lamartine
Ai, eu queria - com Vidraça
Ainda existe
Ainda me Recordo
Amigo do povo
Assim é que é
Cafezal em flor - com Eugênio Fonseca
Carinhos
Carinhoso com João de Barro
Carnavá tá aí com Josué de Barros
Casado na orgia com João da Baiana
Casamento do coronel Cristino
Céu do Brasil com Gomes Filho
Chorei
Chorinho no parque São Jorge - com Salgado Filho
Cochichando - com João de Barro e Alberto Ribeiro
Conversa de crioulo - com Donga e João de Baiana
Dança dos ursos

Dando topada
Desprezado
Displicente
Dominante
Dominó
Encantadora
Estou voltando
Eu sou gozado assim
Foi muamba  - em parceria com Índio
Gargalhada
Glória
Guiomar com Baiano
Harmonia das flores com Hermínio Bello de Carvalho
Iolanda
Isto não se faz - em parceria com Hermínio Bello de Carvalho
Jardim de Ilara - em parceria com C. M. Costal
Knock-out
Lamento
Lamentos - em parceria com Vinícius de Moraes
Lá-ré
Leonor
Levante, meu nego
Mais quinze dias
Mama, meu netinho - em parceria com Jararaca
Mamãe Isabé - em parceria com João da Baiana
Marreco quer água
Meu coração não te quer - em parceria com E. Almeida
Mi tristezas solo iloro
Mulata baiana - em parceria com Gastão Viana
Mulher boêmia
Mundo melhor - em parceria com Vinícius de Moraes
Não gostei dos teus olhos - em parceria com João da Baiana
Não posso mais
Naquele tempo
Nasci pra domador - em parceria com Valfrido Silva
No elevador
Número um
Os batutas - em parceria com Duque
Os cinco companheiros
Os home implica comigo - em parceria com Carmen Miranda
Onde foi Isabé
Oscarina
Paciente
Página de dor - em parceria com Índio
Papagaio sabido - em parceria com C. Araújo
Patrão, prenda seu gado - em parceria com Donga e João da Baiana
Pé de mulata
Poética
Pretensiosa
Promessa
Que querê - em parceria com Donga e João da Baiana
Quem foi que disse
Raiado - em parceria com Gastão Viana
Rancho abandonado - em parceria com Índio
Recordando
Rosa
Samba de nego
Samba do urubu
Samba fúnebre - em parceria com Vinícius de Moraes
Samba na areia
Seresteiro
Sofres porque queres
Solidão
Teu aniversário
Tristezas não pagam dívidas

Um a zero - em parceria com Benedito Lacerda
Um caso perdido
Vem cá! não vou!
Vi o pombo gemê em parceria com Donga e João da Baiana
Vou pra casa
Zé Barbino - em parceria com Jararaca
Proezas de Solon
Vou Vivendo

Conjuntos musicais que participou

- Choro Carioca
- Grupo do Caxangá
- Oito Batutas
- Orquestra Típica Pixinguinha-Donga
- Orquestra Victor Brasileira
- Grupo da Guarda Velha
- Orquestra Columbia de Pixinguinha
- Diabos do Céu
- Os Cinco Companheiros

Curiosidade

- É comemorado em 23 de abril o Dia Nacional do Choro. A data (nascimento de Pixinguinha) é uma homenagem a este grande representante da música brasileira.

- Outros apelidos de Pixinguinha: Pizinguim, Bexiguinha, Pexinguinha.

A ORAÇÃO DE SÃO JORGE

“Eu andarei vestido e armado com as armas de São Jorge para que meus inimigos, tendo pés não me alcancem, tendo mãos não me peguem, tendo olhos não me vejam, e nem em pensamentos eles possam me fazer mal. Armas de fogo o meu corpo não alcançarão, facas e lanças se quebrem sem o meu corpo tocar, cordas e correntes se arrebentem sem o meu corpo amarrar. 


Jesus Cristo, me proteja e me defenda com o poder de sua santa e divina graça, Virgem de Nazaré, me cubra com o seu manto sagrado e divino, protegendo-me em todas as minhas dores e aflições, e Deus, com sua divina misericórdia e grande poder, seja meu defensor contra as maldades e perseguições dos meu inimigos. 

Glorioso São Jorge, em nome de Deus, estenda-me o seu escudo e as suas poderosas armas, defendendo-me com a sua força e com a sua grandeza, e que debaixo das patas de seu fiel ginete meus inimigos fiquem humildes e submissos a vós. Assim seja com o poder de Deus, de Jesus e da falange do Divino Espírito Santo. São Jorge Rogai por Nós. 

Amém”

QUEM É SÃO JORGE

Conhecido como ‘o grande mártir’, foi martirizado no ano 303.

Pertenceu a um grupo de militares do imperador romano Diocleciano, que perseguia os cristãos. Jorge então renunciou a tudo para viver apenas sob o comando de nosso Senhor, e viver o Santo Evangelho.

São Jorge não queria estar a serviço de um império perseguidor e opressor dos cristãos, que era contra o amor e a verdade. Foi perseguido, preso e ameaçado. Tudo isso com o objetivo de fazê-lo renunciar ao seu amor por Jesus Cristo. São Jorge, por fim, renunciou à própria vida e acabou sendo martirizado.
Uma história nos ajuda a compreender a sua imagem, onde normalmente o vemos sobre um cavalo branco, com uma lança, vencendo um dragão:

“Num lugar existia um dragão que oprimia um povo. Ora eram dados animais a esse dragão, e ora jovens. E a filha do rei foi sorteada. Nessa hora apareceu Jorge, cristão, que se compadeceu e foi enfrentar aquele dragão. Fez o sinal da cruz e ao combater o dragão, venceu-o com uma lança. Recebeu muitos bens como recompensa, o qual distribuiu aos pobres.”

  Jorge foi um homem que, em nome de Jesus Cristo, pelo poder da Cruz, viveu o bom combate da fé. Se compadeceu do povo porque foi um verdadeiro cristão.

JÚNIOR SANTOS ROSA LANÇA CD


MÚSICA PERDE JERRY ADRIANI

O cantor, ídolo da Jovem Guarda, morreu às 15h30 deste domingo (23), aos 70 anos, no Rio. Ele enfrentava um câncer e estava internado no Hospital Vitória, na Barra da Tijuca, Zona Oeste.
Ícone da Jovem Guarda, Jair Alves de Souza nasceu em 29 do janeiro de 1947, no bairro do Brás, em São Paulo.

Adotou o nome artístico de Jerry Adriani quando começou sua carreira como cantor, em 1964. O primeiro disco foi "Italianíssimo", quando cantava músicas em italiano, algo que seguiu fazendo em toda a carreira.
Em 1965, o cantor passou a gravar em português, com músicas reunidas no disco "Um grande amor".



Também na década de 1960, Jerry virou apresentador do programa “Excelsior a Go Go”, da TV Excelsior. O programa coapresentado por Luiz Aguiar era um musical com apresentações de artistas como Os Vips, Os Incríveis e Cidinha Santos. 

Outro programa musical que ele comandou foi "A grande parada", no ar pela TV Tupi em 1967 e 1968. Ele era um dos apresentadores ao lado de Neyde Aparecida, Zélia Hoffmann, Betty Faria e Marilia Pera.
Além da TV, Jerry se aventurou pelo cinema. Ele cantou e atuou em “Essa gatinha a minha” (com Peri Ribeiro e Anik Malvil); “Jerry, A grande parada”; e “Jerry em busca do tesouro” (com Neyde Aparecida e os Pequenos Cantores da Guanabara).


Jerry Adriani também aproveitou de sua fama para dar apoio a novos artistas. Ele, por exemplo, foi um dos primeiros a incentivar um então pouco conhecido Raul Seixas. 

Raulzito e os Panteras atuaram como banda de apoio de Jerry por três anos. O cantor gravou músicas de Raul (”Tudo que é bom dura pouco”, “Tarde demais” e “Doce doce amor”) e foi produzido pelo maluco beleza entre 1969 e 1971. 

Depois da TV e do cinema, Jerry tentou a sorte no teatro. Em 1975, participou do musical “Brazilian Follies”, tendo ficado um ano e meio em cartaz. 

Após essa experiência, ele seguiu fazendo shows e gravando discos. Em 1985, lançou "Tempos Felizes", com regravações dos tempos de Jovem Guarda. 

No inicio da década de 1990, Jerry se dedicou a um disco sobre as origens do rock, com o nome "Elvis Vive". Em 1994, participou da novela “74.5 uma onda no ar”, exibida pela TV Manchete. Um ano depois, fez shows para comemorar os 30 anos da Jovem Guarda e participou como convidado especial de uma coletânea do estilo. 

Em 1996, voltou à música italiana, com o disco CD “IO”. Em 1997, teve duas músicas em trilhas de novelas da Globo. "Engenho" fez parte da trilha de "A indomada", e “Con te partiró", dueto com a italiana Mafalda Minnozzi, foi parar na trilha de "Zazá".

Também na década de 1990, saiu o disco "Forza Sempre" (1999). O trabalho tinha apenas músicas da Legião Urbana regravadas em italiano. 

Foi um dos maiores sucessos da carreira de Jerry Adriani desde os tempos da Jovem Guarda. De acordo com o site oficial do cantor, bateu a marca de 200 mil cópias. De quebra, "Santa Luccia Luntana" foi bastante tocada na novela "Terra Nostra". 

O primeiro DVD da carreira foi gravado em 2007, no Canecão, no Rio. “Jerry Adriani Acústico Ao Vivo” trouxe sucessos e inéditas em formato acústico. Em 2011, lançou o CD “Pop, Jerry & Rock”, incluindo homenagem para Raul Seixas e Tim Maia na música “2012”. A ideia de cantar outros ícones da músicas brasileira e do rock rendeu ainda o show “Jerry toca Raul & Elvis”. 

Em 2014, Jerry Adriani completou 50 anos de carreira. Ele seguia em turnê pelo Brasil.


LINKS PARA A OBRA DE JORGE ANTUNES

Conheça um pouco da grandiosa e inventiva obra de Jorge Antunes:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Jorge_Antunes

musicabrasilis.org.br/compositores/jorge-antunes

https://www.latinoamerica-musica.net/bio/antunes.htm



www.jorgeantunespsol.blogspot.com/

tvbrasil.ebc.com.br/doctv/episodio/maestro-jorge-antunes-polemica-e-modernidade

https://www.youtube.com/watch?v=oDg0PYmTf9E