segunda-feira, 16 de setembro de 2019

LONDRINA: II FESTIVAL DE PIPAS DO PARQUE OURO VERDE


domingo, 15 de setembro de 2019

CONHEÇA A PERGUNTA FIXAR EDITORA


Pergunta Fixar
Desde que foi fundada, a Pergunta Fixar adotou um lema que é um desafio e um conceito: uma pequena editora de livros nobres e relevantes para a sociedade. Temos poucos títulos (mas quase todos com reimpressões) com notável longevidade no mercado, distribuição universal dos e-books e todos editados com extremo cuidado e conteúdo admirado pelos leitores. Somos credenciados na Secretaria de Cultura do DF como ente cultural sob o número 7205. 
Nossa linha editorial é focada em literatura (conto, romance, poesia), biografias e obras técnicas e ensaios em cultura. Não publicamos escritores com menos de 25 anos de idade nem livros para adolescentes. Nossos títulos são lançados nos suportes papel e digital. Os e-books estão à venda nas melhores livrarias do Brasil e do Mundo, disponível para download em smartphones, tablets e relógios inteligentes. Somos filiados ao Brazilian Publishers, da Câmara Brasileira do Livro. Temos grande preocupação com o meio ambiente. 
Quando imprimimos nossos livros, preferimos papel com certificação florestal (oriundos de florestas plantadas ou da cana de açúcar) que podem ser comprovados por notas fiscais de nossos fornecedores. Só utilizamos solventes ecológicos e tinta off set à base de óleo vegetal (que substitui o petróleo), e reduzimos o uso de álcool isopropílico, bastante tóxico ao ser humano e à camada de ozônio. Nesse processo, reduzimos resíduos e utilizamos menos água na produção de livros impressos. 
Além disso, as transportadoras parceiras da Pergunta Fixar nos devem comprovar como reduzem poluentes de suas frotas em programas de prevenção à poluição. Juntos, trabalhamos para um leitor especial: gente que se encanta com um bom texto, que gosta de argumentos inteligentes, que sonha e realiza, que aposta na criatividade e se apronta para os desafios. Pessoas adultas no comportamento, sempre jovens na disposição do espírito. 
Os escritores da Pergunta Fixar ajudam a pequena equipe da editora a produzir, distribuir, expor e divulgar as obras com atenção artesanal. Fazemos livros de brilhantes escritores. Assim o fazemos, porque para nós o livro, enquanto substrato da cultura, é o instrumento mais eficaz para a divulgação do saber. Deste modo, a Pergunta Fixar se credencia como uma parceira na difusão do conhecimento em diversas áreas da cultura. Nossos autores estão disponibilizados para todo o mundo por meio de nossos e-books. Somos economicamente viáveis, socialmente justos e ambientalmente corretos. Junte-se a nós.  

PALCOS MUSICAIS TRAZ MÚSICA DE PIAZZOLLA


MORRE CANTOR ROBERTO LEAL


Morreu neste domingo (15) o cantor português Roberto Leal. A informação foi confirmada pelo Hospital Samaritano, em São Paulo, onde o cantor estava internado há cinco dias após uma reação alérgica. 
O artista de 67 anos ficou conhecido pelas músicas "Bate o Pé" e "Arrebita". Ele morava em São Paulo há alguns anos.


De acordo com a assessoria de imprensa do cantor, Roberto estava internado no hospital desde a última terça-feira (10) devido a uma reação alérgica a um medicamento. O artista vinha tratando um câncer há dois anos.
m 45 anos de carreira, vendeu mais de 17 milhões de discos e gravou mais de 400 músicas. Entre elas, também estão faixas como “Bate o pé” e “A festa ainda pode ser bonita”.
Nascido em Macedo de Cavaleiros, no norte de Portugal, o cantor se mudou para o Brasil aos 11 anos, com os pais e nove irmãos. Em São Paulo, trabalhou como sapateiro e vendedor em uma feira.
No final de 2014, o compositor lançou o álbum 'Obrigado, Brasil!' — Foto: DivulgaçãoNo final de 2014, o compositor lançou o álbum 'Obrigado, Brasil!' — Foto: Divulgação
No final de 2014, o compositor lançou o álbum 'Obrigado, Brasil!' — Foto: Divulgação
Em 1978, protagonizou o filme “O milagre – O poder da fé”, inspirado em sua própria história.
No final dos anos 80, voltou a morar em Portugal para se dedicar ao mercado musical europeu. Nesse período, comandou um programa na TV do país.
Mais de 20 anos depois do lançamento de “Arrebita”, a popularidade do cantor ganhou vida nova quando, em 1995, os Mamonas Assassinas lançaram “Vira-vira”, que satiriza músicas dele.
Em entrevistas, Leal costumava dizer que se sentia homenageado pelo grupo.

Retornou ao Brasil em 1998 e, dois anos depois, lançou o disco "Roberto Leal canta Roberto Carlos". Seguiu produzindo discos e coletâneas. O último, “Arrebenta a festa”, saiu em 2016.
Em 2018, foi candidato a deputado estadual de São Paulo pelo PTB, mas não conseguiu se eleger.

quarta-feira, 11 de setembro de 2019

Representantes do Conselho Estadual de Cultura do Paraná serão escolhidos pela primeira vez em votação online


A Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura do Paraná (SECC), por meio da Superintendência da Cultura, iniciou o processo para a escolha dos novos representantes da sociedade civil no Conselho Estadual de Cultura (CONSEC), que pela primeira vez terá sua votação feita inteiramente online, na sua etapa estadual. A seleção dos novos membros será feita em Conferência Estadual convocada pelo Decreto 2567, de 30 de agosto de 2019.
 
Serão escolhidos os conselheiros titulares e respectivos suplentes, representantes das oito macrorregiões histórico-culturais definidas no Decreto nº. 6161/2012, e os representantes das 10 áreas artístico-culturais: artes visuais; audiovisual; circo; ópera; teatro; dança; música; literatura, livro e leitura; patrimônio cultural material e imaterial; e manifestações populares, tradicionais e étnicas da cultura.
 
Para poder concorrer a uma vaga no CONSEC, tanto os candidatos a representante das macrorregionais quanto os das áreas culturais devem ser maiores de 18 anos, comprovar residência no Estado e devem estar inscritos no cadastro de agentes culturais do Paraná, como pessoa física. Os candidatos das áreas culturais também devem pertencer à entidade representativa da área em que optou por se candidatar. O cadastro pode ser feito no site www.sic.cultura.pr.gov.br
 
Ocupantes de cargo em comissão na administração municipal, estadual ou federal não podem se candidatar. 
 
Prévia
Como etapa prévia da Conferência Estadual, os municípios deverão organizar encontros, reuniões, assembleias ou conferências municipais ou intermunicipais para a escolha de seus delegados-candidatos e enviar até o dia 7 de outubro os indicados para as macrorregiões.

 Para a eleição dos representantes das áreas artístico-culturais, os dirigentes precisam fazer o cadastramento ou recadastramento de sua entidade representativa no cadastro de agentes culturais do Paraná até o dia 7 de outubro para poder indicar seus candidatos.

Todos os delegados-candidatos indicados pelas macrorregiões e entidades artístico-culturais deverão preencher o formulário de inscrição disponibilizado no site www.cultura.pr.gov.br para efetivar a candidatura.

As eleições acontecem nas oito macrorregiões histórico-culturais do Estado, de 02 de setembro a 06 de dezembro de 2019, sob a coordenação da SECC. As inscrições dos candidatos vão das 8h de 08/10/2019 às 17h50 de 11/10/2019. O decreto, o regulamento e o cronograma das eleições estão disponíveis em www.cultura.pr.gov.br

Para votar nos candidatos, os eleitores devem ter idade mínima de 16 anos, fazer parte do cadastro de agentes culturais do Estado do Paraná como pessoa física, e também devem fazer inscrição no período de 9 de setembro a 21 de outubro de 2019.  

O CONSEC

Criado pela Lei 17063/12, o CONSEC é composto por 36 membros, numa estrutura paritária, com representantes do poder público e da sociedade civil. Entre as atribuições dos conselheiros estão: fiscalizar a execução dos projetos culturais e a aplicação de recursos, emitir pareceres sobre questões técnico-culturais, participar da formulação de políticas públicas do Governo do Estado na área da cultura, incentivar a proteção do patrimônio cultural, valorizar as manifestações culturais locais e regionais, incentivar pesquisas sobre a cultura paranaense, entre outras importantes ações.

Serviço

Conferência Estadual de Cultura 2019
Eleições para o Conselho Estadual de Cultura (CONSEC)

Cronograma de eleição

1 – Período total do processo: de 02/09/2019 a 06/12/2019
2 – Etapa municipal e/ou intermunicipal: de 02/09/2019 a 04/10/2019
3 – Etapa entidades culturais: de 02/09/2019 a 04/10/2019
4 – Envio das informações para a SECC: até 07/10/2019, para o e-mail consec@seec.pr.gov.br
5 – Período de inscrição de eleitores: das 08h de 09/09/2019 às 17h50 de 21/10/2019 (online)
6 – Período de inscrição de candidatos: das 08h de 08/10/2019 às 17h50 de 11/10/2019 (online)
7 – Divulgação da lista de candidatos: a partir de 23/10/2019
8 – Votação estadual (online): das 08h às 18h do dia 12/11/2019

Dimitri Cervo lança o seu segundo CD autoral, gravado em Caracas, com a Orquestra Sinfônica da Venezuela



Há na música de Dimitri Cervo um território de imaginação, de intensidades dos sons, de realização poética, e de fluência de um espírito musical generoso, lírico, amigo do encanto. Há também a expressão de uma identidade brasileira exuberante, bem desenhada em jardins sonoros que vão e vêm de Villa-Lobos e Burle Marx, da Amazônia e de nosso lastro indígena, da vitalidade telúrica de árvores imensas, que se erguem como sinais daquele vigor cósmico ambicionado pela Arte. Eis aqui a força da grande música na obra de um mestre em seu apogeu artístico.” Francisco Marshall


Não existem barreiras, limites e fronteiras para a música, sejam culturais, políticas ou geográficas. Resultado dos trabalhos para um concerto autoral na série internacional da Orquesta Sinfónica de Venezuela, em Caracas, o compositor e regente Dimitri Cervo lança o seu segundo CD, Música Sinfônica, reunindo obras compostas entre 1998 e 2012. Sob condições políticas e sociais delicadas, o disco foi magistralmente gravado por Danilo Alvarez, engenheiro de som vencedor do Grammy Latino em 2017, pelo disco Fiesta, com o maestro venezuelano Gustavo Dudamel. O CD Música Sinfônica já se encontra nas plataformas digitais, e em duas semanas recebeu mais de 12 mil audições no Spotify.

Esse álbum é fruto da vivência de Dimitri Cervo com os músicos da orquestra e com diversos personagens da sociedade venezuelana, no contexto de um país assolado por uma crise de vasta magnitude. A importância e solidez do movimento El Sistema, projeto visionário criado pelo maestro José Antonio Abreu (1939-2018), fez os grupos orquestrais serem disseminados por toda a Venezuela, tornando-os laboratórios para o desenvolvimento de milhares de jovens, fazendo da música clássica um patrimônio de toda a sociedade. O sucesso desse projeto chamou a atenção do mundo. “Ao trabalhar com um grupo no qual os integrantes são oriundos do El Sistema pude sentir a força do legado do maestro Abreu: indivíduos imbuídos do espírito de comunhão, interdependência e solidariedade através da arte”, revela Cervo.

O álbum inicia com Abertura Brasil 2012 Bis, obra estreada pela Orquestra Sinfônica Brasileira, sob a regência de Leandro Carvalho, e uma das composições mais executadas do compositor. Para essa nova versão, bis, Cervo se inspirou nos aperfeiçoamentos que Beethoven realizou em sua abertura Leonora nº 3. Canauê, criada em 2007, é a nona e última obra da Série Brasil 2000, conjunto de obras para diversas forças instrumentais, na qual o compositor realiza uma síntese estética de elementos da música brasileira e do minimalismo. 

Concerto para Flauta e Cordas é a quinta obra da Série Brasil 2010, uma nova série de obras dedicada a concertos solistas com orquestra de cordas, de câmara ou sinfônica, com estética hibridizada a partir de diversas influências. Ele é interpretado no CD pelo flautista James Strauss. Brasil Amazônico é a obra que inaugura a Série Brasil 2000, e foi apresentada pela primeira vez por Isaac Karabtchevsky e a Orquestra Sinfônica de Porto Alegre. Encerrando o CD, “Toronubá”, criada no ano de 2000, foi escrita em memória aos índios brasileiros que resistiram à invasão Europeia a partir de 1500. Foi estreada na versão para orquestra de câmara pelos maestros Lutero Rodrigues e Guilherme Mannis, e, em 2011, Cervo realizou a versão para grande orquestra, estreada pela Orquestra Municipal de São Paulo, com regência de Wagner Polistchuk.

Dimitri Cervo
Nascido em 1968, é autor de obras multifacetadas como Toronubá, Renova-te e Abertura Brasil 2012, e um dos mais inventivos e destacados compositores da atualidade. A sua atuação abarca a composição e, como intérprete de sua obra, a regência e o piano. Em sua trajetória destacam-se estreias e reapresentações de obras como Abertura Brasil 2012 e Abertura Rio 450 Anos, pela Orquestra Sinfônica Brasileira; o Concertante para Tímpanos e a Abertura Rio 2014, obras encomendadas pela Orquestra Petrobras Sinfônica; e Toronubá, na turnê nacional da Sinfônica de Sergipe.
Em 2015 a Abertura Brasil 2012 foi apresentada no Festival de Campos de Jordão e na Sala São Paulo, sob a regência de Isaac Karabtchevsky. Em 2017, o compositor regeu Toronubá frente à Orquestra de Câmara do Theatro São Pedro, e realizou, ao piano solista, a estreia da Rapsódia Maracatu, para piano e orquestra, obra encomendada pela FUNARTE para a XXII Bienal do RJ. Em 2018, realizou um concerto autoral com a Orquestra Sinfônica da Venezuela, em Caracas, oportunidade na qual gravou o recém-lançado álbum Música Sinfônica. Ainda em 2018, as obras Toro-Lobiana e Abertura Brasil 2012 receberam as suas estreias norte-americanas pelo BoCoCelli, grupo de cellos do Conservatório de Boston, tendo sido também apresentadas em Viena e Seul. Em 2019, a sua obra Paisagens Brasileiras foi encomendada e apresentada no Salem Music Festival, NY.
Dimitri Cervo realizou os seus principais estudos musicais de piano, composição e regência, no Brasil (UFRGS), Itália (Accademia Chigiana) e Estados Unidos (University of Washington).  Desde 2006 é professor associado do Departamento de Música da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 

CD “MÚSICA SINFÔNICA” – Dimitri Cervo
Dist. TRATORE
Preço médio: R$ 39,00

CD físico disponível na Loja Clássicos http://www.lojaclassicos.com.br/




FICHA TÉCNICA – CD “MÚSICA SINFÔNICA”

Produzido por Dimitri Cervo e James Strauss
Engenheiro de Som - Danilo Alvarez
Masterização e Finalização - Marcos Abreu
Arte Gráfica - EROICA conteúdo - Caio Amon
Ilustração a partir do desenho - Jose Luis Salgueiro
Tradução - Aleph Cervo

Gravado entre os dias 9 e 13 de julho de 2018, em Caracas,
no Auditórium Emil Friedman

LENDAS BRASILEIRAS CONTA HISTÓRIAS NA BPP


A Biblioteca recebe em setembro duas apresentações do projeto de contação de histórias Lendas Brasileiras. As sessões acontecem nos dias 11 e 25 de setembro — sempre em dois horários: às 11h e 15h. Os encontros são realizados na Seção Infantil, com entrada gratuita.

Desenvolvido com o objetivo de aproximar crianças e adolescentes do folclore nacional, a equipe do projeto utiliza as mais variadas técnicas de contação (teatro de sombras, fantoches, maquetes, etc.) para fazer com que a plateia se reconheça nas histórias apresentadas. A programação dos encontros ainda inclui atividades paralelas, que estimulam a participação do público e reforçam o conteúdo trabalhado.

Serviço
Lendas Brasileiras
Dias 11 e 25 de setembro, às 11h e às 15h, na Seção Infantil
R. Cândido Lopes, 133, Curitiba — PR
Entrada franca
Mais informações: (41) 3221-4980



Imprensa BPP
Biblioteca Pública do Paraná
(41) 3221- 4917
imprensa@bpp.pr.gov.br
www.bpp.pr.gov.br