sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

MORRE SERTANEJO MARCIANO

marciano  



O cantor sertanejo Marciano, da dupla João Mineiro e Maricano, morreu aos 67 anos. A informação foi confirmada na rede social do cantor.
“É com imenso pesar que, em nota, confirmamos o falecimento do cantor Marciano, o Inimitável. Em breve, divulgaremos mais informações. Nesse momento, agradecemos o carinho de todos e pedimos orações à família”.

O cantor morreu dormindo em casa, em São Caetano, por volta das 2h de sexta (18). Segundo informações da assessoria de imprensa, ele não apresentava nenhum problema grave de saúde. 

Chamado de O Inimitável, interpretou canções como Fio de Cabelo e Crises de Amor.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

Nova edição da revista Helena já está disponível online e na BPP

Já está em circulação o número 10 da Helena, a revista de artes, ensaios e reportagens da Biblioteca Pública do Paraná. A edição abre com um perfil, assinado pela jornalista Mariana Sanchez, do curitibano Rimon Guimarães, um dos nomes mais festejados da street art na atualidade. Também em Curitiba, o repórter André Pugliesi mostra o cotidiano dos beatmakers locais, que transformaram a cidade em um centro de empreendimentos relacionados ao movimento hip-hop.

Outros destaques da nova Helena: João Moreira Salles fala sobre cinema, violência, jornalismo e o futuro do Brasil em entrevista a Luiz Rebinski. Adriana Negreiros trata dos perigos da construção romanceada em torno das figuras de Lampião e Maria Bonita. Jones Rossi alerta para o efeito nefasto que a censura em nome das "boas intenções" pode produzir na cultura e na intelectualidade.

André de Leones resgata a dicção Madona dos Páramos, romance lançado em 1982 pelo mato-grossense Ricardo Guilherme Dicke (1936-2008). Cristian Brayner aponta caminhos para a valorização do equipamento cultural mais popular do país — a biblioteca. Christian Schwartz apresenta uma investigação pessoal sobre o aforismo, gênero que atravessa os séculos conquistando leitores.
única e o estilo febril de

A revista ainda traz uma crônica de Paulo Krauss, contos de Luci Collin e Nelson de Oliveira, poemas de Zuca Sardan, HQ de Aline Daka e fotos de Isabella Lanave, Murilo Ribas e Elisandro Dalcin — além de ilustrações de Caco Galhardo, Tereza Yamashita, Tita Blister, Mário de Alencar, FP Rodrigues, Guilherme Caldas, Benett e Visca.

A Helena tem tiragem de mil exemplares e distribuição gratuita na BPP e em todas as bibliotecas públicas do Paraná, além de pontos de cultura de Curitiba. Também é enviada por correio para jornalistas, escritores, acadêmicos e artistas gráficos de todo o Brasil. Leia online em www.helena.pr.gov.br

Nova geração de poetas brasileiros é destaque da edição de janeiro do Cândido

Uma nova geração de poetas começa a ganhar espaço na cena literária brasileira. São escritores e escritoras que surgiram na virada dos anos 2000 e tentam construir sua história depois de um século de grandes feitos poéticos, de autores incontornáveis, como Carlos Drummond de Andrade, Manuel Bandeira, Vinicius de Moraes, João Cabral de Melo Neto e Cecília Meireles. “Quem ainda pode sonhar com esse time impecável?”, pergunta o escritor e crítico José Castello logo no início do ensaio que é destaque da primeira edição de 2019 do Cândido.


A poesia do século XXI brasileiro se fragmenta como um objeto depois de uma grande explosão. Há rastros por todos os lados, pegadas sujas, multiplicidade de sentidos, e não adianta tentar costurá-los porque eles não se encaixam, nem se interessam pela exatidão.”

Castello contextualiza a chegada da nova geração com escritores que pegaram o bastão do esquadrão modernista. Poetas como Chacal, Paulo Henriques Britto e Alberto Martins, que “fazem a ponte entre os dois séculos”. E então o crítico chega ao agora, analisando a produção de Angélica Freitas, Fabricio Corsaleti, Fabiano Calixto, Annita Costa Malufe, Marilia Garcia e Ana Martins Marques, o principal nome dessa geração, segundo Castello.

Outros conteúdos
A literatura brasileira contemporânea segue pautando o Cândido de número 90. O romancista Michel Laub reflete sobre as oficinas de criação literária na coluna Pensata. A partir de sua experiência pessoal, ele levanta questões que considera importantes para alunos e professores em cursos de escrita criativa. 
 
Já João Silvério Trevisan faz uma retrospectiva de sua obra. O veterano autor, um dos nomes mais importantes da literatura brasileira hoje, fechou a temporada 2018 do projeto Um Escritor na Biblioteca e comentou detalhes de seus principais livros, como o romance Ana em Veneza e o ensaio Devassos no paraísos
 
A edição também destaca os três vencedores da edição 2018 do Prêmio Paraná de Literatura: Daniel Arelli (Poesia, com Lição da matéria), Raimundo Neto (Contos, com Todo esse amor que inventamos para nós) e Lourenço Cazarré (Romance, com Kzar Alexander, O louco de Pelotas). Eles falam sobre suas obras e têm fragmentos de seus livros publicados. 
 
O Cândido traz uma seleta de textos de cinco poetas húngaros ainda inéditos em português, além de poemas de Ana Martins Marques e Luís Pimentel. A ilustração da capa é do artista Visca.

Serviço
O Cândido tem tiragem mensal de 3 mil exemplares e é distribuído gratuitamente na Biblioteca Pública do Paraná e em diversos pontos de cultura de Curitiba. O jornal também circula em todas as bibliotecas públicas e escolas de ensino médio do Estado. É enviado, pelo correio, para assinantes a diversas partes do Brasil.

sábado, 12 de janeiro de 2019

MORRE O JORNALISTA E PRODUTOR PEDRO FRANCISCON

Uma das vozes mais populares da publicidade londrinense saiu de cena no início da noite de sexta-feira (11).

O jornalista, radialista, publicitário e produtor musical Pedro Franciscon Silveira, que se tornou conhecido na cidade por fazer a locução de vários comerciais desde a década de 1980, faleceu aos 61 anos vítima de câncer de pulmão.

O jornalista trabalhou na rádio Folha FM e dirigiu o estúdio de gravações Auddio Data, além de ter colaborado com grupos musicais e com o Festival de Música de Londrina.

sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

ÚLTIMA EDIÇÃO DO VÍDEO SHOW

Joaquim Lopes e Sophia Abrahão no último 'Vídeo Show' 



O último Vídeo Show foi ao ar nesta sexta-feira, 11, mais de 35 anos após sua estreia. A edição começou sem um grande clima de despedida, com os apresentadores Joaquim Lopes e Sophia Abrahão dançando e se abraçando.

A primeira matéria exibida trouxe detalhes da casa do apresentador André Marques e sua relação com as diversas cadelas que cria. Depois, um reencontro entre Klara Castanho e Mario Paz, ator argentino com quem contracenou em Viver a Vida, novela de 2009.

No quadro apresentado por Matheus Mazzafera, a entrevistada foi Regiane Alves. O ator David Junior cozinhou e passou uma receita de lombo ao molho ao molho chimichurri e, os aniversariantes da semana e, em sequência, um Por Onde Anda? com atores mirins do elenco de Caminho das Índias.

O ator Micael Borges foi o convidado do quadro comandado pelo humorista Carioca. Depois, um quadro musical com Caetano Veloso.

Ao longo do programa, foram mostradas diversas mensagens publicadas em redes sociais por atores e ex-apresentadores do Vídeo Show sobre o término do programa, como Cissa Guimarães, Otaviano Costa, Rafael Cortez, Zeca Camargo, Ana Furtado, Nathalia Dill, ner Cadete, Monica Iozzi, Renata Ceribelli, Rodrigo Sant'Anna, Bruno de Luca e Fafá de Belém.


quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

GLOBO DRAMATIZA A VIDA DE ÉDER JOFRE

A Globo estreou nesta terça-feira (8) sua nova minissérie. Das telonas para a TV aberta, “10 Segundos Para Vencer” conta a trajetória do brasileiro Éder Jofre, bicampeão mundial do boxe.

O ídolo do esporte, que disputou 81 lutas, com 75 vitórias, quatro empates e apenas duas derrotas, ambas por pontos, tem sua história contada nos quatro episódios que a emissora transformou o filme homônimo.

Dirigida por José Alvarenga Jr, a série é dividida entre as carreiras de desenhista e lutador. Éder Jofre (Daniel de Oliveira) acaba seguindo a tradição da família ao escolher o boxe, sempre contando com a obstinação e a disciplina do seu pai e treinador, Kid Jofre (Osmar Prado): foi o primeiro pugilista brasileiro a lutar nos Estados Unidos e o primeiro a conquistar o título de campeão mundial.

Para a televisão, a produção ganhou mais cenas. A preparação de Éder para a primeira luta nos Estados Unidos, contra Joe Medel, e os conflitos que a antecedem, entre Kid Jofre e Parnassus (Victor Laplace), o promotor da luta, terão mais espaço.

Londrix publica novo edital para selecionar debates e contação de histórias

O Festival Literário de Londrina (Londrix), que neste ano chega em sua 15ª edição, abriu o Edital nº 2, que visa selecionar cinco debates/palestras para candidatos que residam em Londrina ou tenham vínculo com a cidade; três debates/palestras de escritores âmbito nacional; e cinco atividades infantis (contação de histórias). As inscrições são gratuitas e podem ser feitas até o dia 5 de fevereiro.

Para efetivar as inscrições os candidatos deverão enviar e-mail para curadorialondrix19@gmail.com, contendo a cópia da proposta, o currículo, a ficha de inscrição preenchida, que consta na página https://londrixliterario.wixsite.com/festivalliterario. Neste mesmo endereço eletrônico, é possível acessar o edital completo, com as informações sobre os valores pagos para cada categoria, entre outros dados.

De acordo com o Edital nº 2, é vetada a participação de contemplados no Edital anterior “Londrix/Promic”. O resultado será divulgado no dia 15 de fevereiro de 2019, no site do Festival. Aqueles que tiverem dúvidas ou necessitarem de mais informações sobre o edital, podem enviar um e-mail para festivalliterariodelondrina@bol.com.br.

O Londrix 15 anos será realizado entre os dias 6 e 11 de maio de 2019, reunindo debates, palestras, performances, saraus, exposição, feira de livros e oficinas. Ao longo de suas edições, além de transitar entre todas as formas de manifestação artístico-literária, o festival reuniu, promoveu, valorizou e difundiu autores representativos da literatura brasileira.

Trata-se de um festival que celebra o universo literário e a formação de leitores, cumprindo a função de interface que conecta escritores, editores e o público na cadeia de produção-circulação do livro e serviços da cultura correlatos. A realização é do grupo Atrito Arte Artistas e Produtores Associados (AARPA), com patrocínio Prefeitura de Londrina, por meio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic), do Governo Federal, parceria da Universidade Estadual de Londrina (UEL) e apoio da Cultural.

quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

MORRE PADRE QUEVEDO

Morreu, nesta quarta-feira (9), Padre Quevedo, aos 89 anos. Ele será sepultado na quinta-feira (10), no cemitério Bosque da Esperança, em Belo Horizonte, Minas Gerais.

Nascido em 1930 em Madri, na Espanha, ele se naturalizou brasileiro em 1960. Foi professor universitário e colecionou graduações: filosofia, teologia, humanidades clássicas, parapsicologia. Quevedo foi autor de 17 livros.

Quevedo ficou famoso na década de 90, quando participou de diversos programas na televisão em que debatia com médiuns, pastores, ufólogos, ateus e curandeiros. Ele trazia uma explicação científica para os feitos ou tentava copiar a ação dita mediúnica.

Com o bordão de sotaque carregado “Isso non ecziste”, o Padre jesuíta, que tinha como nome de batismo Oscar González-Quevedo, ganhou um quadro no programa Fantástico, com o quadro “O Caçador de Enigmas”. A série foi finalizada nos anos 2000.

60 ANOS DE BOSSA NOVA COM ALAIDE COSTA E CLAUDETTE SOARES


MORRE VIOLONCELISTA ALDO PARISOT


0201_radiometropolis_aldo_parisot
O ano de 2018 terminou com uma despedida na música erudita. Morreu no dia 29 de dezembro, aos cem anos, o violoncelista potiguar naturalizado norte-americano Aldo Parisot. Ele vivia nos Estados Unidos, e morreu em sua casa em Guilford, em Connecticut.

Parisot foi membro do corpo docente da Juilliard School de Nova York, e durante 60 anos foi professor da Escola de Música de Yale.

O violoncelista nasceu em 30 de setembro de 1918, em Natal, no Rio Grande do Norte. Ele e o irmão Italo Babini aprenderam violoncelo com o padrasto Tomazzo Babini. Seu primeiro recital foi aos 6 anos de idade, e aos 12, já solou com a Orquestra Sinfônica Brasileira, no Rio de Janeiro.
O talento de Parisot chamou atenção de um funcionário da Embaixada dos Estados Unidos, que conseguiu uma bolsa para o jovem músico em Yale. Lá, ele estudou com Paul Hindemith e tocou com a Orquestra de Pittsburgh. Em 1950, Parisot estreou no Town Hall em Nova York e se consolidou internacionalmente tocando ao lado do maestro e violoncelista inglês John Barbirolli e da Filarmônica de Nova York.

Mesmo vivendo nos Estados Unidos, Aldo Parisot sempre visitava o Brasil para apresentações e masterclasses. Ele comandou um concurso internacional de violoncelo em Campos do Jordão, participou do festival no interior de São Paulo, e gravou em 1988 um disco com o amigo Eleazar de Carvalho e a Orquestra da Paraíba.

Aldo Parisot deixou a esposa Ellen Lewis Parisot, 3 filhos e 6 netos.

PIANISTA MIGUEL PROENÇA É NOVO PRESIDENTE DA FUNARTE

0701_radiometropolis_miguel_proenca
O pianista Miguel Proença é o novo presidente da Fundação Nacional de Artes (Funarte).

 Ele foi convidado para o cargo por Osmar Terra, novo ministro da Cidadania do governo de Jair Bolsonaro.

Pianista de renome internacional, Proença já tocou como camerista e solista em diversas salas do Brasil e do exterior.  Em 1988 e 1989, recebeu o Prêmio APCA de melhor pianista do ano. Ele também foi diretor da Sala Cecília Meireles, no Rio de Janeiro.

terça-feira, 8 de janeiro de 2019

AGÊNCIA ASSESSORA MÚSICOS EM LONDRINA


PIMENTINHA: MINISÉRIE ELIS, NA GLOBO

Elis Regina está de volta à TV. Estreia nesta terça-feira, 8, a nova minissérie da Globo ‘Elis – Viver É Melhor que Sonhar’, uma readaptação do filme Elis, de 2016, de Hugo Prata.

O diretor e a atriz Andreia Horta voltam às funções: novas cenas foram filmadas e a produção ganhou uma cara nova com a ajuda dos roteiristas George Moura e Guel Arraes. São quatro episódios, exibidos até o dia 11 de janeiro, após ‘O Sétimo Guardião’.

EXPOSIÇÃO DE POEMAS BATUQUE NA CAIXA EM PORTUGAL


GLOBO ANUNCIA FIM DO VIDEO SHOW


© Divulgação-TV Globo
 
A Rede Globo enviou um comunicado nesta terça-feira, dia 8, anunciando o fim do Vídeo Show.
O programa, que mostrou os bastidores das produções da emissora durante mais de 35 anos, chegará ao fim já na próxima sexta-feira, dia 11.

A partir do dia 14, próxima segunda-feira, a Sessão da Tarde começará mais cedo, às 14 horas. De 14 a 18 de janeiro, depois da Sessão da Tarde, o Vale A Pena Ver de Novo exibirá os últimos capítulos de Belíssima, em dobradinha com os primeiros capítulos de Cordel Encantado.

A partir do dia 21, depois do filme exibido pela tarde, a Globo exibirá o Álbum da Grande Família, um especial que vai ao ar de segunda a sexta, com o resgate dos melhores momentos das 14 temporadas do seriado que marcou época.

FUNARTE SE PROPÕE TONAR AGENCIA PÚBLICA DE FOMENTO ÀS ARTES

Com o objetivo de buscar alternativa que proporcione à Fundação Nacional de Artes – Funarte um modelo de modernização administrativa, com receitas próprias e capacidade de captação de recursos, foi estabelecido um grupo de trabalho técnico, que estuda, desde 2016, as possibilidades de uma nova modelagem. O resultado é a proposta de transformação da fundação em uma agência de direito público, com ênfase no fomento e investimento.

Mesmo considerando a especificidade de cada setor das artes – circo, dança, teatro, música, artes visuais e ópera –, o projeto foi basicamente inspirado na Agência Nacional de Cinema (Ancine), dada a transformação positiva que ela provocou no mercado.

Estímulo à cadeia produtiva das artes

Para que uma reestruturação ocorra, há a necessidade de um novo ordenamento jurídico da Funarte, que seria, de acordo com a proposta dos técnicos, renomeada para Agência Nacional de Artes (Anarte). Ela trataria das políticas públicas para as artes – em especial do fomento e do investimento em sua cadeia produtiva – estímulo ao empreendedorismo; a oportunidades de emprego e renda; e à formação de público e ao consumo dessa produção.

Na exposição do projeto, a Secretaria Executiva do MinC considerou que, com ele, a Funarte elaborou uma alternativa apropriada aos modelos mais modernos de gestão pública, “buscando cooperar com a eficiência do Estado brasileiro por meio da superação das contingencias orçamentárias e operacionais”. A Secretaria concluiu que a proposta do GT “soluciona um problema de ordem prática, que é o contingenciamento de recursos orçamentários, apresentando uma solução de sustentabilidade e alta eficiência”.

No momento, o Grupo segue no trabalho de difusão do estudo realizado, junto a profissionais da área e à sociedade civil em geral.

HENRIQUE PIRES ASSUME SECRETARIA NACIONAL DE CULTURA

O jornalista gaúcho Henrique Medeiros Pires assinou, na tarde desta sexta-feira (4), o termo de posse como secretário especial da Cultura do Ministério da Cidadania. “Estou extremamente honrado em ascender a este posto. Vou me dedicar o máximo que puder e seguramente honrar esta cadeira. Acompanho desde o início o trabalho do Ministério. Espero contar com a colaboração de todos os servidores do quadro, efetivos, servidores anistiados, de todos os que estão compondo a equipe do antigo Ministério da Cultura, agora Secretaria Especial. Muito obrigado”, afirmou, logo após assinatura, no gabinete do antigo Ministério da Cultura, em Brasília.

Pires tem histórico de atuação na área. Na Universidade Federal de Pelotas (UFPel – RS), foi diretor do Departamento de Arte e Cultura e atuou na criação dos cursos superiores de Cinema e Animação e Teatro. Também foi secretário municipal de comunicação de Pelotas e dirigiu fundações de cultura, entre elas o Instituto João Simões Lopes Neto. Presidiu a extinta Fundapel e foi coordenador de feiras de livros, festivais de teatro, dança e artes visuais, e um dos responsáveis pela preservação de sítios históricos no Rio Grande do Sul.

Desde 2016,Pires atuava como chefe de gabinete do ministro do Desenvolvimento Social (MDS), Osmar Terra, atual ministro da Cidadania. É graduado em Estudos Sociais pelo Instituto de Ciências Humanas da Universidade Federal de Pelotas (UFPel –RS), com especialização em formulação de políticas públicas pela Universidade de Salamanca (Espanha).

segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

OS VENCEDORES DO GLOBO DE OURO 2019





A 76ª edição do Globo de Ouro, o Golden Globe Awards, ignorou nomes considerados favoritos e corou os filmes Bohemian Rhapsody e Green Book. A prestigiada premiação do cinema e das produções de televisão é considerada uma prévia do Oscar e dá a largada para o principal prêmio da sétima arte norte-americana, que acontece em 24 de fevereiro. A seguir, a lista completa de todos os vencedores ao Globo de Ouro 2019, revelada na noite deste domingo, 6 de janeiro, em Los Angeles.

Em negrito, os ganhadores.


Cinema

Melhor filme - Drama:

  • Infiltrado na Klan
  • Pantera Negra
  • Bohemian Rhapsody
  • Se a rua Beale falasse
  • Nasceu uma estrela

Melhor filme - Comédia ou Musical:

  • Crazy Rich Asians
  • A favorita
  • Green Book
  • O retorno de Mary Poppins
  • Vice

Melhor atriz em filme - Drama:

  • Glenn Close - A boa esposa
  • Lady Gaga - Nasceu uma estrela
  • Nicole Kidman - Destroyer
  • Melissa McCarthy - Can You Ever Forgive Me?
  • Rosamund Pike - A Private War

Melhor ator em filme - Drama:

  • Bradley Cooper - Nasce uma estrela
  • Willem Dafoe - No portal da eternidade
  • Lucas Hedges - Boy Erased
  • Rami Malek - Bohemian Rhapsody
  • John David Washington - Infiltrado no Klan

Melhor atriz em filme - Comédia ou Musical:

  • Emily Blunt - O retorno de Mary Poppins
  • Olivia Colmam - A favorita
  • Elsie Fisher - Eighth Grade
  • Charlize Theron - Tully
  • Constance Wu - Crazy Rich Asians

Melhor ator em filme - Comédia ou musical:

  • Christian Bala - Vice
  • Lin-Manuel Miranda - O retorno de Mary Poppins
  • Viggo Mortensen - Green Book
  • Robert Redford - The Old Man and the Gun
  • John C. Reilly - Stan & Ollie

Melhor atriz coadjuvante em filme:

  • Amy Adams - Vice
  • Claire Foy - O primeiro homem
  • Regina King - Se a rua Beale falasse
  • Emma Stone - A favorita
  • Rachel Weisz - A favorita

Melhor ator de partilha:

  • Mahershala Ali - Green Book
  • Timothée Chalamet - Beautiful Boy
  • Adam Driver - Infiltrado no Klan
  • Richard E. Grant - Can You Ever Forgive Me?
  • Sam Rockwell - Vice

Melhor diretor:

  • Bradley Cooper - nasceu uma estrela
  • Alfonso Cuarón - Roma
  • Peter Farrelly - Green Book
  • Spike Lê - Infiltrado no Klan
  • Adam McKay - Vice

Melhor filme de animação:

  • Os Incríveis 2
  • Ilha dos cachorros
  • Mirai
  • WiFi Ralph: quebrando a Internet
  • Homem-Aranha no Aranhaverso

Melhor trilha original para filmes:

  • Marco Beltrami - Um lugar silencioso
  • Alexandre Desplat - Ilha dos cachorros
  • Ludwig Göransson - Pantera Negra
  • Justin Hurwitz - O primeiro homem
  • Marc Shaiman - O retorno de Mary Poppins

Melhor filme estrangeiro:

  • Capernaum (Líbano)
  • Girl (Bélgica)
  • Never look away  (Alemanha)
  • Roma (México)
  • Assunto de família (Japão)

Melhor canção original:

  • All the Stars - Pantera Negra
  • Revelation - Boy Erased
  • Girl in the Movies - Dumplin
  • Shallow - Nasce uma estrela
  • Requiem for a Private War - A Private War

Melhor roteiro:

  • Alfonso Cuarón - Roma
  • Deborah Davis & Tony McNamara - A favorita
  • Barry Jenkins - Se a rua Beale falasse
  • Adam McKay - Vice
  • Brian Hayes Currie, Peter Farrelly & Nick Vallelonga - Green Book

Televisão

Melhor série - Drama:

  • The Americans
  • Bodyguard
  • Homecoming
  • Killing Eve
  • Pose

Melhor atriz de série - Drama:

  • Caitriona Balfe - Outlander
  • Elisabeth Moss - O conto da aia
  • Sandra Oh - Killing Eve
  • Julia Roberts - Homecoming
  • Keri Russell - The Americans

Melhor ator de série - Drama

  • Jason Bateman - Ozark
  • Stephan James - Homecoming
  • Richard Madden - Bodyguard
  • Billy Porter - Pose
  • Matthew Rhys - The Americans

Melhor série - Comédia ou Musical:

  • Barry
  • The Good Place
  • Kidding
  • O método Kominsky
  • A maravilhosa Sra. Maisel

Melhor atriz em série - Comédia ou Musical:

  • Kristen Bell - The Good Place
  • Candice Bergen - Murphy Brown
  • Alison Brie - Glow
  • Rachel Brosnahan - A maravilhosa Sra. Maisel
  • Debra Messing - Will & Grace

Melhor ator em série - Comédia ou Musical:

Melhor minissérie ou filme para TV:

  • O alienista
  • American Crime Story: O assassinato de Gianni Versace
  • Escape at Dannemora
  • Sharp Objects
  • A Very English Scandal

Melhor atriz de minissérie ou filme para TV:

  • Amy Adams - Sharp Objects
  • Patricia Arquette - Escape at Dannemora
  • Connie Britton - Dirty John
  • Laura Dern - The Tale
  • Devaste Regina King - Seven Seconds

Melhor ator de minissérie ou filme para TV:

  • Antonio Bandeiras - Genius: Picasso
  • Daniel Brühl - O alienista
  • Darren Criss - American Crime Story: O assassinato de Gianni Versace
  • Benedict Cumerbatch - Patrick Melrose
  • Hugh Grant - A Very English Scandal

Melhor atriz coadjvante de série, minissérie ou filme para TV:

  • Álex Borstein - A maravilhosa Sra. Maisel
  • Patricia Clarkson - Sharp Objects
  • Penélope Cruz - American Crime Story: O assassinato de Gianni Versace
  • Thandie Newton - Westworld
  • Yvonne Strahovski - O conto da aia

Melhor ator coadjvante de série, minissérie ou filme para TV:

  • Alan Arkin - O método Kominsky
  • Kieran Culkin - Succession
  • Édgar Ramírez - American Crime Story: O assassinato de Gianni Versace
  • Ben Whishaw - A Very English Scandal
  • Henry Winkler - Barry.





CLUBE DE AUTORES TRAZ LIVROS COM DESCONTO NAS FÉRIAS

https://clubedeautores.com.br/authors/38412

IVO PESSOA ACÚSTICO NO BROWS


ATENÇÃO MÚSICOS DE LONDRINA E REGIÃO: AGÊNCIA GS SMITH

Lembre-se de que os vencedores fazem aquilo que os perdedores não querem fazer!
______________________________
Só atendemos com horário marcado, agende seu horário.

Fone: (43) 4141-6411
WhatsApp: (43) 99935-8635 | (43) 99972-8062
Av. Madre Leônia Milito, 1377 - 9º andar, sala 901
Londrina, Paraná