sábado, 31 de março de 2012

PRESIDENTE DILMA ROUSSEF ENCERRA VIAGEM À ÍNDIA



A presidente Dilma Rousseff concluiu neste sábado sua primeira viagem oficial à Índia, com uma visita privada ao Taj Mahal, na cidade de Agra, antes de retornar ao Brasil.

Durante a estadia de cinco dias no país, Dilma assistiu a 4ª cúpula do grupo de potências emergentes Brics, que reúne Brasil, Índia, China, Rússia e África do Sul.

A visita da governante brasileira serviu para afiançar a relação bilateral com a Índia, um país com o qual Brasília quer unir forças no cenário global para aumentar o peso de ambos nos organismos internacionais de tomada de decisões.

Dilma classificou como "fundamental" a aliança com a Índia para influenciar na agenda internacional, e citou organismos financeiros como o Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional entre os fóruns nos quais ambos os países buscam reforçar sua presença.
A presidente brasileira também defendeu por buscar "novas oportunidades" de negócio entre os países e elevar sua troca comercial até US$ 15 bilhões em 2015, frente aos US$ 9,2 bilhões registrados no ano passado.

BAHIA PERDE O SAMBISTA EDERALDO GENTIL

“O ouro afunda no mar/Madeira fica por cima/Ostra nasce do lodo/Gerando pérolas finas". Morreu na sexta-feira (30) à noite, aos 68 anos, Ederaldo Gentil, a pérola fina do samba raiz.

O corpo do músico foi enterrado neste sábado, às 16h, no cemitério Campo Santo, em Salvador (BA).

Segundo sua sobrinha, Monica Gentil, o sambista morreu de infecção generalizada após complicações intestinais. Ele foi internado na quinta-feira (28) no hospital Ernesto Simões, em Salvador, com fortes dores abdominais.

No auge da sua carreira, ao lado de Edil Pacheco e Batatinha, Gentil fez o show "O Samba Nasceu na Bahia" na década de 1970. Em 1974, participou do programa "Sambas da Bahia", da TV Cultura, dirigido por Fernando Faro, ao lado de Batatinha e Riachão -considerados os três grandes sambistas de raiz da Bahia.


O grupo Nosso samba, que acompanhava Clara Nunes, também gravou as músicas do compositor, de versos fortes.

Entre as composições do sambista estão "O Ouro e a Madeira", "Rose" ("O que é que houve com Rose, hein?"), "Identidade" ("05342635 é o meu número o meu nome/Minha identidade/Mínimo salário é o meu ordenado/12 horas de trabalho/Que felicidade") e "Luandê"("Lá na Bahia/Todo branco tem um nego na famia/Gegê, Bantu ou nagô/Seu doutor, vim de Luanda/Pra namorar a sua fia/Nego amor") e "Provinciano"("Provinciano era meu sorriso/Prefácio de um poeta que eu sonhava em ser/Fui fazendo versos/Fui rimando a vida").

Na década de 1980 caiu no ostracismo e entrou em depressão, apesar de lançar "Identidade", de forma independente, em 1983. Em 1999, Edil Pacheco gravou o CD "Pérolas Finas" de composições de Gentil com participações de João Nogueira, Beth Carvalho, Elza Soares, Carlinhos Brown e Gilberto Gil.

Em 2000, o selo Olori lançou a coletânea "Ederaldo Gentil - A Voz do Poeta".

FRITJOF CAPRA DISCUTE ECOLOGIA E SUSTENTABILIDADE COM EDUCADORES BRASILEIROS


O físico e escritor austríaco Fritjof Capra, 73, autor dos best-sellers "O Tao da Física", e "O Ponto de Mutação", é um dos mais famosos divulgadores do pensamento sistêmico, que vê a realidade como um todo indissociável, compreendido em termos de relações - conceitos caros a ambientalistas e teóricos da sustentabilidade.

Atualmente, ele dirige o centro de ecoalfabetização da Universidade Berkeley, na Califórnia, que forma educadores para ensinar ecologia e sustentabilidade a crianças e adultos.

Capra veio anteontem a São Paulo para discutir com educadores brasileiros os rumos da educação para o desenvolvimento sustentável, em um programa patrocinado pelo Banco Santader.

BUSTO DA ATRIZ LALA SCHNEIDER EM CURITIBA


Artistas que trabalharam com Lala Schneider (1926-2007), falecida há cinco anos, sentem um aperto no peito ao passar pela Praça Santos Andrade, onde está coberto o monumento à atriz, que será desvelado hoje ao meio-dia. “Ela deixou um buraco, uma lacuna, que não tem como preencher”, diz, emocionado, o diretor Edson Bueno. Ele foi aluno de Lala por quatro anos e a convidou para atuar em sua primeira peça solo, A Sedução, de Oscar Wilde.

Em seus 52 anos de atuação, Lala Schneider trabalhou em 99 peças, nove filmes e oito novelas (como Lua Cheia de Amor e Felicidade). Em 1993, ela recebu o Gralha Azul de melhor atriz pela peça O Vampiro e a Polaquinha, que ficou sete anos em cartaz. De acordo com Fiani, esse foi o trabalho que ela mais gostou de fazer.


Serviço: Inauguração monumento em homenagem a Lala Schneider. Praça Santos Andrade. Hoje, ao meio-dia. Entrada franca.

RENATO ROCHA


A Reportagem do Domingo Espetacular (TV Record) exibida em 25 de março último e que mostrou o contra baixista Renato Rocha, 50 anos, morando nas ruas do Rio de Janeiro realmente assusta por conta de ele ter escrito canções e participado em três álbuns de uma das maiores bandas do pop rock nacional e que ainda hoje vende milhares de discos.

Rocha; como bem disse a jornalista Nina Lemos, em sua coluna no Estadão; era a imagem da modernidade e da beleza, um negro valoroso em cima dos palcos por todo o Brasil, sendo admirado e tendo seu nome gritado por adolescentes e jovens de toda uma geração.

Era desta forma que o via, nos discos, na televisão e no memorável show que a Legião Urbana fez em Londrina, no auge do sucesso do Disco "Que país é este?". Era o quarteto perfeito: o poeta rebelde e carismático (Russo), o guitarrista gente boa (Dado), o negro talentoso e belo (Rocha) e o batera, econômico e aparentemente desligado. Naquela época, aos 13 ou 15 anos, com nenhum dinheiro no bolso, ouvia os discos da banda na casa de amigos, em memoráveis sábados à noite em que nos reuníamos (uns 10 amigos) para curtir o rock anos 80.



Ele sumiu por muitos anos... As matérias que se sucederam ao domingo mostram que ele formou outras bandas e tentou...

Mas mesmo quem se dedica à música, pouco ou nada ouvia falar de Negrette e o tempo também passou... Afinal, o tempo não pára...

Renato Russo se foi...

A banda se desfez e resta a memória dos oitenta e meados dos anos 90 em que “de tanto acreditar em tudo que achávamos tão certo, teríamos o mundo inteiro e faríamos floresta do deserto. E diamantes de pedaços de vidro. Mas percebo agora que o teu sorriso vem diferente, quase parecendo te ferir...”


E o olhar triste de Negrette, seu sorriso triste, sua história triste...

Mas o que te aconteceu, Negrette?

Certamente que a reportagem explorou o drama e pouco explicou como as coisas chegaram até ali. Mas para os fãs da Legião Urbana ficam a indagação e a vontade de colaborar para que Negrette resgate sua auto estima e retome sua vida pessoal e profissional.

E certamente a imensa tristeza por este momento!

ALDO MORAES
Músico
composermoraes@hotmail.com

OLODUM PREMIADO NO MÉXICO



A banda Olodum recebeu um prêmio especial do Festival Internacional de Tajin, no México, pelo trabalho musical e social, desenvolvido na comunidade de Pelourinho.
O grupo tem uma trajetória marcada de sucesso.

Ele foi criado para animar os foliões do carnaval baiano e, em 1987, entrou no mercado musical com o lançamento de seu primeiro álbum Egito Madagascar, disco consagrado pelo sucesso da musica "Faraó".

Composta por 19 músicos (10 percussionistas, 03 cantores e 06 músicos de harmonia), a musica do Olodum já esteve em 35 países do mundo, em milhares de cidades, sempre levando alegria para mais de 20 milhões de pessoas em toda sua carreira.

É também um importante instrumento na luta contra o preconceito e discriminação e através do seu exemplo de sucesso, valoriza e incentiva a auto-estima do povo negro e suas comunidades.

MINISTÉRIO DA CULTURA APRESENTA RELATÓRIO AOS DEPUTADOS FEDERAIS



A ministra da Cultura, Ana de Hollanda, e o secretário-executivo do MinC, Vitor Ortiz, estiveram presentes na manhã desta quarta-feira, 21 de março, na Comissão de Educação e Cultura (CEC) da Câmara dos Deputados para apresentar as ações prioritárias da Pasta ao longo de 2012.

A ministra começou destacando a importância das emendas parlamentares que, em 2011, foram fundamentais para que houvesse os investimentos nas áreas de museus, livros e artes, como a reforma do Teatro Brasileiro de Comédia (TBC), que recebeu investimentos de mais de R$ 13 milhões.

“Queremos lembrar e destacar aqui a importância dessas emendas para nós, pois através delas podemos estender nossos projetos. Também investimos recursos da nossa lei orçamentária para complementar essas emendas. Pois, vemos algumas ações como prioritárias e ajudamos a compor o investimento necessário. Desse modo, conjuntamente, investimos para o crescimento da cultura brasileira”, disse a ministra.

Ao longo de 2012, o MinC deverá investir mais de R$ 142 milhões no projeto Mais Cultura/Mais Educação, realizado em parceria com o Ministério da Educação (MEC). O valor permitirá o lançamento de editais Mais Cultura nas Escolas e a criação de programas como o Cine Educação e Agentes de Leitura nas escolas do campo. A medida vai beneficiar dois milhões de alunos em oito mil escolas.

“Nesse início, nosso foco é a educação básica, mas em parceria com o Ministério da Educação, esse projeto vai se estender, e com isso iremos atingir novos estados, aprofundar estágios de ensino e atender metas especificas como o ensino de culturas afro e indígena nas escolas”, afirmou Ana de Hollanda.

A ministra também se referiu ao PAC Cidades Históricas, que foi inserido recentemente nas ações e programa do PAC, assegurando ações de preservação em 125 cidades, com orçamento previsto de R$ 100 milhões. A ministra também destacou a Rede de Cidadania Cultural, composta pelos programas Praças dos Esportes e da Cultura, Espaços e Bibliotecas Mais Cultura, Usinas Culturais e Pontos de Cultura.

Plano Brasil Criativo

Um dos projetos mais celebrados pelos deputados durante a apresentação de Ana de Hollanda foi o Plano Brasil Criativo, que será desenvolvido pela futura Secretaria de Economia Criativa e que terá o envolvimento de mais dez ministérios. Uma ação estruturante e transversal que irá alçar a cultura e o profissional da área de cultura a um novo patamar.

A ação prevê a criação de escritórios em todos os estados brasileiros para dar suporte a artistas que hoje têm dificuldade de se inserir no mercado de trabalho formal, divulgar seu trabalho, questões previdenciárias e outras.
“Não queremos criar pop stars. Desejamos criar condições para que artistas possam viver dignamente de sua produção, de seu trabalho. Que seja profissionalizado e que o Brasil possa conhecê-los e, com isso, conhecer também toda nossa diversidade”, afirmou a minista.

Fundo Nacional de Cultura

Outro ponto que foi destaque na apresentação foi a destinação de mais de R$ 133 milhões do orçamento do Fundo Nacional de Cultura para a aplicação em programas prioritários, já no primeiro semestre. Entre os programas beneficiados estão o Cultura Viva (R$ 46 milhões); o Plano Brasil Cultural, os microprojetos culturais da Bacia do Rio São Francisco e a recuperação de 57 imóveis em risco no centro histórico de Salvador.

Para o presidente da Comissão de Educação e Cultura, deputado Newton Lima (PT-SP), a apresentação reflete o comprometimento da gestão do MinC com a cultura brasileira e que os números representam avanços importantes para área. “Os nobres colegas presentes nessa audiência devem ter ficado felizes com o que nos foi apresentado. E quero colocar essa comissão à inteira disposição para que possamos avançar em pautas importantes que tramitam na Casa, como a aprovação do ProCultura”, disse o deputado.

(Texto: Marcos Agostinho, Ascom/MinC)
(Fotos: Janete Lemos)

NO TEMPO DOS MEUS AVÓS, EXPOSIÇÃO EM TOLEDO/PR


sexta-feira, 30 de março de 2012

O CHORO DE JOATAN NASCIMENTO E A BAHIA DE JORGE AMADO NO CINEMA



Desfruto ao mesmo tempo da magia baiana através do filme "Capitães da Areia" (adaptação do livro de Jorge Amado) e do CD Eu choro assim. de Joatan Nascimento, lançado há 10 anos e que estou a ouvir diariamente nestes dias.

O CD é do trompetista alagoano, radicado na Bahia e que traz 14 choros escritos especialmente para seu instrumento, mas que a criatividade de Joatan transpõe para formações únicas, ou seja cada obra é interpretada com um convidado diferente: grupo de percussão, tuba, piano, conjunto vocal, quinteto de metais, quarteto de trombones e programação eletrônica.

Caetano Veloso apresenta o trabalho, lançado pelo selo Maianga, com produção de Roberto Santana e composições de Pedroca, Mestre Duda (a quem tive o prazer de conhecer numa edição do Festival de Música de Londrina), Porfírio Costa, João Gomes e Fred Dantas.

O CD é um exemplo da liberdade artística a que músicos clássicos e da música instrumental se colocam na Bahia, trocando informações com músicos populares e se imbuindo de literatura e outras artes. A miscigenação cultural fica clara neste trabalho de altíssima qualidade e acessível ao grande público. Estes elementos que formam o imaginário brasileiro estão presentes na cultura baiana e agregam valor tremendo a contribuição do país na vida contemporânea.

O filme é de uma beleza fotográfica e musical enormes, com o talento dos meninos "capitães" se destacando em plano principal. E nele também estão a magia do mar, do candomblé, da noite baiana, suas ladeiras e casarões, suas igrejas e a negritude do seu povo.

Penso que esta Bahia maior é contribuição de convivência, mistura e alta cultura do nosso povo ao Brasil. E que o Brasil deve se espelhar nisto para se apresentar ao mundo como opção de futuro, beleza e paz.

Aldo Moraes/músico
composermoraes@hotmail.com

SAMBA REGRA TRES, NO CAFÉ BRASIL, EM LONDRINA


OS DESAFIOS DO FINANCIAMENTO Ä CULTURA NO BRASIL


CURSO FONTE DE RECURSOS PARA O TERCEIRO SETOR, COM A DEARO

Captação de Recursos e
Marketing Social para
Sustentabilidade
Financeira de ONGs

São Paulo dias 17 e 18 de
maio com Fernanda Dearo

Quais as fontes de recursos mais
interessantes?

Como Captar recursos para a manutenção
de uma ONG?

Quais as formas de captar esses recursos?

Como fazer eventos?

Como abrir uma Central de Associados?

Como desenvolver campanhas?

Quer ser um captador de Recursos?

Faça também o curso
de Elaboração de
Projetos nos dias
21 e 22 de junho e
ganhe 20% de desconto!

Inscrições e Informações
(11) 4777-0260 ou
www.dearo.com.br







HELENO DE FREITAS NO CINEMA


Uma das maiores lendas do futebol brasileiro e o maior ídolo do Botafogo antes de Garrincha, Heleno de Freitas (1920-1959), é o personagem central do drama "Heleno", de José Henrique Fonseca.

O filme já percorreu festivais internacionais, colhendo um prêmio de melhor ator no Festival de Havana 2011 para Rodrigo Santoro, que perdeu 12 quilos e treinou com o ex-jogador Cláudio Adão para entrar na pele de Heleno.

A proposta do diretor José Henrique Fonseca (de "O Homem do Ano") é ousada já que, assumidamente, não procura realizar um filme sobre futebol. Recorrendo a uma bela fotografia em preto e branco -do premiado Walter Carvalho-, "Heleno" mostra um personagem trágico, que flertou com a fama e a glória mas tinha encontro marcado com a queda.

De origem abastada, filho de um industrial e proprietário de cafezal, o mineiro Heleno era formado em Direito e tinha hábitos refinados. Mas sua paixão maior era o futebol, entrando para o time do Botafogo em 1937. Ali ficou até 1948, firmando um impressionante recorde de 209 gols em 235 partidas.

Craque dentro de campo, Heleno era de trato difícil. Perfeccionista e briguento, tinha poucos amigos, como o colega Alberto (Erom Cordeiro) e, até certa altura, o dono do time, Carlito Rocha (Othon Bastos).

Fora do clube, o atleta nunca abriu mão de uma vida boêmia intensa. Vivia no Copacabana Palace, mergulhado em champanhe e vícios como éter e lança-perfume. As mulheres ocupavam muito do seu tempo, com casos rumorosos, simbolizados no filme pela cantora Diamantina (a atriz colombiana Angie Cepeda, de "Pantaleão e as Visitadoras").



Por tudo isso, na glória de Heleno já se enxerga o caminho da decadência, que não tardou em vir pelo caminho, com uma sífilis que causou loucura progressiva.

Antes disso, o craque, que também vestiu a camisa da seleção, ainda passou pelo Boca Juniors, o Vasco (onde obteve seu único título estadual, em 1949), o Atlético Junior de Barranquilla, o Santos e o América, onde encerrou tristemente a carreira.

Seu único filho, tido com a mulher, Silvia (Alinne Moraes), nem o conheceu, já que a mãe, com medo dos acessos do marido, abandonou-o quando o menino tinha um ano.

MUNDO ERUDITO


a)Instrutor e professor de música no Amapá.
A inscrição deverá ser efetuada via Internet, no endereço eletrônico http://www.universa.org.br/, no período entre 8 (oito) horas do dia 21 de março de 2012 e 20 (vinte) horas do dia 23 de abril de 2012, observado o horário oficial de Macapá.
Informações no site:
http://www.universa.org.br/conc_inscricoesabertas.asp

b) Professor de Canto Lírico UFPE.
Perfil do Candidato: Mestre em Música. Graduado em Música, sendo obrigatório que pelo menos um destes títulos seja na área do concurso.
As inscrições vão até 11 de maio.
Maiores Informações:
http://www.ufpe.br/proacad/index.php?option=com_content&view=article&id=622%3Aedital-12-concursos-publicos-de-provas-e-titulos-para-docentes-do-magisterio-superior-adjuntoassistente-recife-e-caruaru&catid=15&Itemid=114


c) Grande Festival Osvaldo Lacerda.
Dia 31 de março, sábado, às 18h30.
Interpretação de obras de Osvaldo Lacerda sob regência de Muriel Waldman.
Lançamento do livro Curiosidades Musicais, escrito por Osvaldo Lacerda.
Local: Auditório da Cultura Inglesa de Vila Mariana.
Rua Madre Cabrini, 413.
Capacidade: 70 lugares.
Ingressos: R $ 10,00 e R $ 5,00 (meia-entrada para estudantes e maiores de 65 anos)
Sócios: entrada franca.


d) Ciclo de Oficinas I para Educadores Musicais - EESCDe.
Musicalização de Crianças de 3 a 6 anos, com Profa. Dra. Lilia RosaVotuporanga: de 25/03/2012 à 08/07/2012, uma vez ao mês, aos domingos, das 9h às 16h30.
Local: Escola de Ensino Artístico Santa Cecília - Fone (17) 3421-4460 (a/c Profa Terezinha ou Silvéria)
Ementa: O Ciclo de Oficinas compreende cinco temas que envolvem a Musicalização de Crianças de 3 a 6 anos de idade, em sala de aula e outros espaços educativos, sendo dirigido aos educadores musicais, estudantes e professores das redes públicas e privadas.
Mais informações e preços através do telefone acima ou email: musicaintempo@hotmail.com

e) Curso de extensão - Literatura Pianística moderna e contemporânea.
O curso destina-se a pianistas, estudantes e professores de piano, e também aos interessados em aumentar seu entendimento e conhecimento sobre o repertório para piano dos séculos XX e XXI.
Datas: 4, 5, 11, 12, 18, 19, 25 e 26 de Maio de 2012 e 16, 22, 23, 29 e 30 de Junho de 2012.
Horários: 18:00 às 20:00hrs (Sextas-feiras) e 09:00 às 13:00hrs (Sábados)
Carga horária: 40 horas
Valores: R$380,00 / R$ 320,00 Alunos e Professores do CBM-CEU, alunos da UFRJ, alunos da UNIRIO.
Local: Conservatório Brasileiro de Música - Centro Universitário - Av. Graça Aranha, 57 / 12º andar - Centro - Rio de Janeiro
Informações: Departamento Cultural (Ana Paula Cabral ou Mariana Marins)
Telefone: (21) 3478-7600
E-mail: cultural@cbm-musica.org.br
Coordenação: Adriana Rodrigues Didier.
Realização: Departamento Cultural CBM

f) Lançamento do Livro "Edino Krieger - Crítico Produtor Musical e Compositor".
SESC convida para o lançamento do livro: “Edino Krieger - Crítico Produtor Musical e Compositor”.
Volumes 1 e 2. de Ermelinda a. Paz.
Apresentação de suas obras com concerto da Orquestra Sinfônica de Barra Mansa e solista Veruschka Mainhard.
Dia 31 de março de 2012, às 18h30.
Salão Leopoldo Miguez - Escola de Música da UFRJ - Rua do Passeio, nº 98 - Centro / RJ.




CHICO ANYSIO SERÁ ENREDO EM 2013

Chico Anysio, que morreu na última sexta-feira (23/3), será, no carnaval de 2013, o enredo da escola de samba carioca Paraíso do Tuiuti, do grupo de acesso. A infomação é da coluna de Ancelmo Gois, do jornal "O Globo" desta quinta-feira (29/3).

Em 1984, o humorista já havia sido homenageado por uma agremiação no carnaval do Rio de Janeiro. Naquele ano, ele foi tema da Caprichosos de Pilares.

LITERATURA INTERNACIONAL PERDE ADRIENNE RICH



A poeta e ensaísta Adrienne Rich, figura da literatura feminista celebrada tanto por suas reflexões profundamente pessoais sobre sua vida quanto por comentários sociais mordazes, morreu aos 82 anos, disseram familiares na quarta-feira.

Adrienne, que recebeu diversas honras, incluindo o Ruth Lilly Poetry Prize e National Book Award, pela obra que abrange sete décadas e é uma das mais reunidas em coleção do século 20, morreu na terça-feira em sua casa em Santa Cruz, na Califórnia, afirmou a nora Diana Horowitz.

A poeta, que viveu e escreveu abertamente como lésbica pela maior parte de sua vida adulta, começando em uma era em que a homossexualidade era amplamente condenada na sociedade norte-americana, tornou-se pioneira na luta pelos direitos das mulheres e de outras minorias.

"Ela realizou em verso o que Betty Friedan, autora de 'A Mística Feminina', fez na prosa", escreveu Margalit Fox sobre o bardo da pioneira feminista no obituário do The New York Times.

O site da Poetry Foundation chamou-a de "uma das principais intelectuais públicas dos EUA".

Nascida em Baltimore, em 1929, seu pai era um renomado patologista e professor da John Hopkins. Sua mãe era pianista.

Ela se formou na Radcliff University e se casou com um professor de economia de Harvard, Alfred Conrad, em 1953, com quem teve três filhos. Seu marido morreu em 1970 e seis anos mais tarde ela foi morar junto com sua parceira Michelle Cliff

EM DESTAQUE: A OBRA DE VICENTE KUTKA



“Um sopro de vida - Celebração a Vicente Kutka”, exposição de obras do artista plástico paulistano Vicente Kutka (1952-2006), dá início a um projeto expositivo no Jorge, restaurante do hotel Etoile George V Jardins.

A mostra foi organizada sob curadoria da irmã do artista, Regina Kutka, sempre ativa em cultivar a memória e divulgar a obra de Kutka, artista criador de uma obra pictórica vibrante e carregada de gestualidade, de caráter expressionista e abstrato.
“Um sopro de vida” reúne sete telas de Vicente Kutka. Seis delas foram pintadas entre 2000 e 2005, e uma em 1992.

Jorge restaurante
Etoile George V Jardins
Rua José Maria Lisboa 1000, Jardins, tel. 3088-9822

Para mais informações:
Gabinete de Comunicação
Arlene Colucci e Matias José Ribeiro
(11) 3082-5444 e 8102-9870

MON promove mostra inédita da obra de Poty Lazzarotto



No dia 29 de março é aniversário de Curitiba e de Poty Lazzarotto. A cidade completa 319 anos e o artista, se estivesse vivo, faria 88. A Secretaria de Estado da Cultura do Paraná (SEEC) celebra a data com a inauguração, a partir das 19 horas, da exposição “Poty, de todos nós”, que tem curadoria de Oswaldo Miranda, o Miran.

A mostra conta com o patrocínio da Volvo e da Copel e a entrada durante a inauguração é gratuita

NOVA MÚSICA DE ERIC E MACÁRIO



VEJA NO YOUTUBE> MUSICA NOVA - ERIC E MACÁRIO - VAI ROLAR UM FIGHT


http://www.yo

utube.com/watch?v=nzTFYSEHoy0

JORGE BEN JOR, O ZÉ PRETINHO, FAZ 70 ANOS

Ele completou 70 anos no dia 22 de março.

Em breve, o blog reverencia um dos maiores compositores do Brasil, um dos mais tocados e respeitados no exterior.

SALVE JORGE!

SALVE A BANDA DO ZÉ PRETINHO!


CANTOR SERTANEJO COLABORA COM TRABALHOS SOCIAIS

A assessoria do cantor Luan Santana divulgou um relatório das doações feitas pelo cantor sertanejo a instituições de caridade.

Três instituições de Londrina são citadas, totalizando mais de R$ 170 mil. O Hospital do Câncer recebeu R$ 80 mil, a APAE R$ 60 mil e a APS Down R$ 34 mil.

No total, as doações do cantor chegam a R$ 2 milhões. A maior delas, R$ 550 mil, é para o Hospital do Câncer de Barretos.

quarta-feira, 28 de março de 2012

O LIVRE PENSADOR


Millôr, querido e intrigante Millôr Fernandes, que ainda adolescente passei a desfrutar. Pela página na revista Veja e pelos livros da Biblioteca Pública.

Mas foi o Millôr mais íntimo (da ironia, da inteligência rara e de histórias cotidianas) que me conquistou absolutamente.

O Millôr que conheci pelas mâos e voz do amigo Nelson Bravo ( aposentado do Banco do Brasil, carioca por adoção, amigo dos"caras" e apaixonado por literatura).

Este Millôr e estes amigos do Pasquim me acompanharam até aqui e vão me acompanhar até lá.

Não até no fim, porque espero (pelo espírito livre, do pensamento livre, da arte livre) poder escrever (como Millôr) meu destino (ainda que na inocência ou ignorância do ser aprendiz).

E sendo o autor da minha vida, na minha vida pretendo que não haja fim...

Como em Millôr!

Aldo Moraes/músico
composermoraes@hotmail.com

MORRE ADEMILDE FONSECA, A RAINHA DO CHORO

Morreu no fim da noite dessa terça-feira, dia 27, aos 91 anos, a cantora Ademilde Fonseca. Conhecida como a Rainha do Choro, ela trabalhou por mais de uma década nas rádios Nacional e Tupi.Ademilde Fonseca sofreu um mal súbito em sua casa, em Ipanema, zona sul do Rio de Janeiro.

Ela deixa uma filha, a também cantora Eimar Fonseca, três netas e quatro bisnetos.


Ademilde tornou-se famosa em 1942 ao lançar o álbum "Tico-Tico no Fubá" e emprestar sua voz ao chorinho, gênero que até então era pouco cantado.

Entre os sucessos que interpretou, destacam-se os clássicos do repertório brasileiro como "Tico-Tico no Fubá", "Brasileirinho", e "Apanhei-te um Cavaquinho".
Na segunda-feira, ela gravou dois programas na Globo News e de destacou também pelo repertório refinado com canções de Jobim, Vinicius de Moraes, Herminio Bello de Carvalho e Paulo César Pinheiro. Em 2010, participou de um especial "Divas Brasileiras", idealizado pela jornalista Mara Luque.

EDITAIS NACIONAIS DE PATROCÍNIOS E PARCERIAS PARA O TERCEIRO SETOR

Festival Visões Periféricas 2012 abre inscrições
Estão abertas as inscrições para o Festival Visões Periféricas 2012 - Audiovisual, Educação e Tecnologias. A idéia da iniciativa é multiplicar e misturar as possibilidades de narrar, sentir e perceber a vida. Informações sobre como participar estão no site www.visoesperifericas.org.br.

Concurso de Fotografia sobre democracia mobiliza juventude
Estão abertas, até 11 de maio, as inscrições para o 2° Concurso de Fotografia do Movimento Mundial da Juventude para a Democracia. Podem participar jovens de todo o mundo onde a democracia é limitada, em transição, ou estabelecida e que tenham fotografado situações que transmitem idéias de um dos três temas do concurso: Emergentes Defensores dos Direitos Humanos; Democracia em Minha Vida; e Desafios para a Democracia. Detalhes estão no site http://www.wymdonline.org/.

ONU Mulheres abre edital do Fundo para a Igualdade de Gênero
A ONU Mulheres abre a segunda etapa do edital para propostas do Fundo para a Igualdade de Gênero, que tem o objetivo de promover o empoderamento político e econômico das mulheres. O segundo edital fica aberto até 23 de março de 2012. Podem se inscrever organizações governamentais e da sociedade civil que possuam propostas inovadoras e impactantes para o empoderamento das mulheres. As propostas devem ser enviadas em inglês, espanhol ou francês. O Fundo concederá financiamento às propostas escolhidas em países da África, América Latina e Caribe, Leste Europeu, Países Árabes, Ásia e Pacífico e Ásia Central.

Funarte e Ministério da Cultura lançam edital para microprojetos da região do São Francisco

Parte do conjunto de ações desenvolvidas pela Funarte/Ministério da Cultura, o Programa “Mais Cultura – Microprojetos Rio São Francisco” é voltado para a realização de projetos culturais de baixo custo. A missão do programa é fomentar e incentivar artistas, produtores, grupos, expressões e projetos artísticos e culturais na região da Bacia do Rio São Francisco. Os projetos financiados deverão ser propostos, ou ter como beneficiários, jovens de 17 a 29 anos residentes na área a ser alcançada, para promover a cidadania cultural. www.cultura.gov.br

Semana na sede da ONU em Genebra: 20 a 30 de abril
Leda Lu Muniz, consultora e especialista em Relações Internacionais está organizando e acompanhando um grupo para uma visita de uma semana a sede da ONU em Genebra. Uma oportunidade única para conhecer as atividades da ONU em cinco dias inteiros de palestras e visitas, numa programação exclusiva. Aberto a profissionais e estudantes. Ainda há vagas! Informações e inscrições: (11) 3884-8380 ou (11) 9639-0961 e pelo e-mail leddaro@mandic.me

Inscrições abertas para prêmio sobre uso do vídeo por ONGs
Estão abertas as inscrições para o 6th Annual DoGooder Nonprofit Video Awards, que se destina a reconhecer a criatividade e o efetivo uso do vídeo para promover o trabalho de organizações não-governamentais. As entidades podem se inscrever em quatro categorias e os vencedores receberão prêmios em dinheiro e em equipamentos. Os detalhes estão em http://www.see3.com/dogooder/press-release

Ministério da Cultura recebe inscrições para Prêmio Economia Criativa
Estão abertas até 30 de março, as inscrições para os editais do Prêmio Economia Criativa, cujo objetivo é identificar, reconhecer, fomentar e difundir as iniciativas empreendedoras e inovadoras da sociedade civil atuantes nos setores criativos. Serão premiadas 150 iniciativas selecionadas nas seguintes categorias: Novos Modelos de Gestão de Empreendimentos e Negócios Criativos e Formação para Competências Criativas. A premiação será de R$ 3,6 milhões. Já o Edital de Apoio à Pesquisa em Economia Criativa selecionará estudos e pesquisas acerca de temas da economia criativa nos contextos macroeconômico e legal-institucional brasileiros. Serão agraciadas 22 pesquisas. O apoio destina-se a pesquisadores da área acadêmica com atuação na área da pesquisa. www.cultura.gov.br

Fundo Juventude Urbana recebe inscrições para apoio a projetos
A ONU-HABITAT, através do Fundo Juventude Urbana, vai destinar um milhão de dólares para projetos liderados por jovens, de 15 a 32 anos, que estejam implementando projetos inovadores para geração de emprego, boa governança urbana, habitação e garantia de propriedade. Cada projeto receberá até US $ 25.000 e as candidaturas podem ser feitas de 15 de fevereiro a 15 de abril. Todas as informações estão disponíveis em www.unhabitat.org/youthfund.

PARCERIA COM A ÍNDIA, PODE VIABILIZAR INTERNET BANDA LARGA PARA TODO O BRASIL

Uma parceria técnica entre o Brasil e a Índia deve resultar em distribuição de banda larga para todo os municípios do País. a notícia foi divulgada na manhã desta quarta-feira (28) pelo em Nova Délhi o ministro da Ciência e Tecnologia, Marco Antônio Raupp.

De acordo com ele, o Brasil deve colocar em órbita uma satélite geoestacionário de comunicação que permitirá os serviços de internet e telefonia móvel 3G.

A construção e lançamento estão por conta da Telebras e da Embraer e têm custo avaliado de R$ 750 milhões

FRASES CURIOSAS DE MILLOR FERNANDES



Bhundismo da semana: Menina, a caridade é mais importante do que a castidade. Dê para um desempregado.
*
Anatomia é uma coisa que os homens também têm, mas que, nas mulheres, fica muito melhor.
*
O aumento da canalhice é o resultado da má distribuição de renda.
*
Nunca tantos deveram tanto a tão porcos.
*
Mordomia é ter tudo que o dinheiro - do contribuinte - pode comprar.
*
Chama-se de herói o cara que não teve tempo de fugir.
*
Infelicidade: Nascer com talento melódico numa época em que o pessoal só se interessa por percussão.
*
A gente tem que experimentar de tudo. Desde que seja de graça e não doa muito.
*
Calúnia na internet a gente tem que espalhar logo, porque sempre é mentira.
*
Repito, mais uma vez: supremo eu só conheço o de frango.
*
O homem é o único animal que ri. E é rindo que ele mostra o animal que é.
*
Em agosto, nas noites de frio, a pobreza entra pelos buracos da roupa.
*
Idade da razão é quando a gente faz as maiores besteiras sem ficar preocupado.
*
O preço da fidelidade é a eterna vigilância.
*
Beber é mal. Mas é muito bom.
*
Como são admiráveis as pessoas que não conhecemos muito bem.

EM NOTA, PRESIDENTE DILMA ROUSSEF LAMENTA MORTE DE MILLOR

A presidente Dilma Rousseff divulgou nota nesta quarta-feira em que destaca os talentos e elogia o desenhista, jornalista, dramaturgo e escritor Millôr Fernandes, que morreu na noite de terça-feira (27), aos 88 anos.

Dilma afirma, na nota, que Millôr foi um gênio brasileiro, ícone do humorismo.
"Brilhante jornalista, com a mesma maestria tornou-se escritor, cartunista e dramaturgo. Autodidata, traduziu para o português dezenas de obras teatrais clássicas. Atuou em diversos veículos de comunicação, além de ter sido fundador de publicações alternativas", diz.

"Com sua morte, o Brasil e toda a nossa geração perdem uma referência intelectual", afirma a presidente no comunicado.

AOS 88 ANOS, O ESCRITOR, JORNALISTA E DRAMATURGO MILLOR FERNANDES MORRE NO RIO DE JANEIRO




O escritor carioca Millôr Fernandes morreu aos 88 anos, às 21h de terça-feira (27), em casa, em Ipanema, na Zona Sul do Rio de Janeiro.

Biografia
Escritor, jornalista, desenhista, dramaturgo e artista autodidata, Millôr começou a colaborar com a revista "O Cruzeiro" aos 14 anos, conciliando as tarefas de tradutor, jornalista e autor de teatro. No final dos anos 1960, tornou-se um dos fundadores do jornal "O Pasquim", reconhecido por seu papel de oposição ao regime militar.

Escreveu nos anos seguintes diversos tipos de peças e se tornou o principal tradutor das obras de William Shakespeare no país.
Como roteirista, escreveu mais de uma dezena de texto, dentre eles o longa “Terra estrangeira”, e “Memórias de um sargento de milícias”, adaptação da obra de José Manuel de Macedo produzida pela Rede Globo de Televisão. Também roterizou espetáculos musicais, como o musical “Liberdade liberdade”, escrito em parceria com Flávio Rangel, e “Do fundo do azul do mundo”, ao lado de Elizeth Cardoso e do Zimbo Trio.

Recebeu uma homenagem durante o carnaval carioca de 1983, quando foi samba-enredo da Escola de Samba Acadêmicos do Sossego, de Niterói (RJ). Millôr, inclusive, compareceu ao desfile.

Dentre os veículos de imprensa, colaborou ainda com artigos e crônicas nos jornais “O Correio Brasiliense”, “Jornal do Brasil”, “O Estado de São Paulo”, “O Diário Popular”, “Correio da Manhã”, “O Dia”, “Folha da Manhã” e “Diário da Noite”. Para internet, criou o site “Millôr Online”, sobre o qual diria posteriormente: “Se eu soubesse o que atrai tanta gente, nunca mais faria de novo”.
E, como bom roteirista, ainda escreveria sobre a própria vida: "Meu destino não passa pelo poder, pela religião, por qualquer dessas entidades idiotas. Meu script é original, fui eu quem fez. Por isso não morro no fim".

Atualmente ele mantinha um site pessoal em que escrevia textos de humor e cartuns, além de reunir seus trabalhos dos últimos 50 anos. Seu perfil no Twitter já contava com mais de 285 mil seguidores.

terça-feira, 27 de março de 2012

CHORO COM JOEL NASCIMENTO



No próximo sábado, dia 31, às 15h, o projeto “Música na Arlequim” vai receber a ilustre presença de Joel Nascimento. O prestigiado bandolinista, acompanhado por Magno Júlio (percussão), Bernardo Diniz (cavaquinho) e João Camarero (violão 7 cordas), vai levar ao palco da livraria no Paço Imperial clássicos do choro, como “Lamento”, “Noites Cariocas”, “Odeon” e “Chega de saudades”, numa tarde dedicada a Radamés Gnattali, Jacob do Bandolim, Ernesto Nazareth, Pixinguinha, Tom Jobim, dentre outros.

Joel, cuja carreira profissional começou em 1974, quando descoberto oficialmente pelo cantor João Nogueira, também guarda boas lembranças de Radamés Gnattali, quem lhe procurou, em 1978, para transcrever a suíte popular “Retratos”, originalmente escrita pelo maestro para bandolim e orquestra de cordas, a chamada formação regional (bandolim, três violões, cavaquinho e ritmo). Joel reuniu um grupo para tocar a peça, que ganhou uma forma camerística, resultando em uma nova concepção musical e instrumental à formação tradicional dos conjuntos de choro. Este grupo, mais tarde receberia o nome de "Camerata Carioca".

Um dos fundadores do “Sovaco de Cobra”, grande movimento de choro do Rio de Janeiro, sua carreira internacional começou em 1982, em Nova York, no Lincoln Center – Alice Tully Hall. Posteriormente, apresentou-se na Alemanha, Áustria, França, Itália, Portugal, Japão, Suíça, Argentina, Inglaterra, Holanda e Guiana Francesa. Participou dos Festivais de Montreux, Nice, Córsega, Festival de Câmara do Novo México, do Festival de Bandolins em Lunel - França. Formou o conjunto Sexteto Brasileiro, onde percorreu diversas cidades dos Estados Unidos e apresentou-se como solista da Orquestra Sinfônica de Santo Antônio. Gravou seu primeiro disco solo em 1976, “Chorando pelos Dedos”, iniciando uma série de fonogramas, gravados no Brasil, Estados Unidos , Alemanha e Japão.

Apresentou-se nas principais salas de concertos do país. Tocou com a Orquestra do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, Orquestra Sinfônica Brasileira, Orquestra Petrobrás, Orquestra de Câmara de Blumenau, Orquestra UNISINUS, Orquestra do Conservatório da MPB de Curitiba, Orquestra OPUS RIO e Orquestra Sinfônica de Porto Alegre. Tem participado de gravações ao lado dos maiores nomes de nossa música, além de gravar para trilhas sonoras de cinema e televisão.

31/03 –Música na Arlequim – Joel Nascimento – Sábado, às 15h
O bandolinista, acompanhado por Magno Júlio (percussão), Bernardo Diniz (cavaquinho) e João Camarero (violão 7 cordas), apresenta clássicos do choro, como “Lamento”, “Noites Cariocas”, “Odeon” e “Chega de saudades”, em releituras de Radamés Gnattali, Jacob do Bandolim, Ernesto Nazareth, Pixinguinha, Tom Jobim, dentre outros.

Endereço: Praça XV de Novembro, 48, Loja 1 - Centro - Rio de Janeiro - RJ
Telefone.: (21) 2220-8471 (reserva)
Ingressos: R$15,00 (couvert artístico)


COTAS PARA NEGROS EM CONCURSOS FEDERAIS

ONG pede cota para negros em concursos públicos federais

No primeiro dia de exercício interino da Presidência da República, nesta segunda-feira(26), Marco Maia recebeu manifestantes que iniciaram uma greve de fome em frente ao Palácio do Planalto. Eles reivindicam mais políticas públicas para os negros. Normalmente, os grupos que fazem manifestações em frente ao Planalto são recebidos pela Secretaria-Geral da Presidência da República, responsável pela interlocução com os movimentos sociais.

Os integrantes da organização não governamental Educafro, que busca a inclusão de pobres e negros na educação, deixaram a reunião no Palácio do Planalto determinados a encerrar a greve de fome. "O encontro superou nossas expectativas. O presidente em exercício se colocou aberto para atender nossas propostas e encaminhá-las aos ministérios".

Na pauta de reivindicações está o pedido para que se garanta a presença de negros entre os 100 mil bolsistas do programa Ciência sem Fronteiras, que vai bancar a ida de estudantes brasileiros para cursos de pós-graduação em instituições renomadas de ensino no exterior. Os manifestantes também pediram que seja garantida uma cota aos afrodescendentes nos concursos públicos do governo federal.

CONJUNTO RETRATOS NO DIA NACIONAL DO CHORO


No mês de Abril é comemorado o Dia Nacional do Choro, e no próximo Domingo, 01 de Abril às 11h00 o Centro Cultural do Jabaquara apresenta a edição de número 66 do projeto Choro na Manhã, e o Conjunto Retratos, formado por Alex Mendes (bandolim), Paulo Gilberto (flauta), Cesar Ricardo (violão 7 cordas), Fernando Henrique (cavaquinho) e Donisete Fernandes (bandolim) preparou um repertório especial para esta data.

O Dia nacional do Choro foi criado para homenagear Pixinguinha, o compositor, instrumentista virtuoso, maestro, e arranjador e considerado um dos maiores gênios da música brasileira que deixou para jóias musicais músicas como Carinhoso, Vou Vivendo, Lamentos, Rosa, Um a Zero, entre outras.

Além das inúmeras qualidades musicais, Pixinguinha foi um amigo sincero, companheiro e era uma pessoa extremamente simples. Há uma frase atribuída a Vinícius de Moraes que diz que “Se não fosse Vinícius, queria ser Pixinguinha”.

Outro grande flautista que conviveu algumas vezes com Pixinguinha, o Professor João Dias Carrasqueira, disse sobre seu contato pessoal com Pixinguinha: "O Pixinguinha era uma figura simpática, ao primeiro contato, não dava para perceber que ali estava um anjo, mas ele era um anjo...”.

O Centro Cultural do Jabaquara está localizado próximo ao Metrô Jabaquara na Rua Arsênio Tavolieri n.º 45, Bairro Vila Oriental, o telefone é (11) 5011-2421.
A entrada é gratuita e antes da apresentação, haverá o tradicional café da manhã oferecido gratuitamente ao público.

Contamos com a sua presença!

Alex Mendes
Conjunto Retratos
(11) 8653-9603
www.conjuntoretratos.com.br
www.chorinhobrasil.com.br

ARTES PLÁSTICAS: SISSTEMA

A exposição “SISSTEMA” fica em cartaz até 1º de abril na Matilha Cultural. Para que ainda não conferiu a primeira exposição individual da paulistana, Simone Sapienza Siss pode aproveitar até o próximo domingo. Para angariar fundos para ações com moradores de rua, a galeria colocou a venda, obras da artista e toy arts do evento Desvio Financeiro - leilão realizado no ano passado para festa de final de ano para moradores de rua.

A última semana de exposição marca o inicio da nova frente de atuação da Matilha Cultural junto à comunidade. Por acreditar e defender que o conhecimento pertence a todos e para intensificar e ampliar o trabalho educacional, a galeria impôs um requisito para receber projetos. Artistas ou coletivos que participarem de mostras na galeria deverão contribuir com a educação, seja oferecendo oficinas, palestras, cursos ou então com a doação de obras expostas. A artista Simone Siss deu inicio ao trabalho, participando de oficinas gratuitas de stencil e com a doação de parte das obras da sua exposição.

O dinheiro arrecadado será usado no projeto de cinema, que acontece aos domingos na galeria, paralelamente a feira de adoção de animais. A sessão é dedicada aos moradores de rua da região, que participam de uma sessão especial no cinema da Matilha Cultural com direito a bolo e café.

A mostra “SISSTEMA” retrata o universo da artista plástica autodidata, que conheceu a arte urbana há dois anos, num curso de stencil. São doze obras em tamanhos variados e imagens desenvolvidas em diferentes suportes e tamanhos. O material utilizado varia entre mdf, papel, madeiriti, tela, parede e ainda betoneira e toy art. O nome “SISSTEMA” foi escolhido pela artista, que em um pequeno verso, tenta definir ela mesma. “Meu sistema é bem completo. Tem concreto. Tem afeto. Meu sistema, adaptado. Mantém tudo organizado. Meu sistema é concebido. Mastigado, engolido. Meu sistema é bem nervoso... Muito mesmo, nem te conto” Sou plebéia ou realeza... Mas no fim, acabo sendo... Um acessório de mim mesma.”. Baseada nesse “SISSTEMA”, Simone pretende levar para as paredes da galeria uma sátira da vida urbana, misturando elementos de várias épocas.

A Matilha Cultural anuncia que a Biblioteca Scambo já está funcionando. O espaço livre de troca de livros arrecadou exemplares durante o primeiro mês de funcionamento e montou um espaço com o acervo conquistado. A partir de agora, os visitantes podem levar qualquer exemplar para casa, desde que deixe um outro na galeria. A Biblioteca Scambo tem como objetivo a troca de conhecimento e informações.

Happy Hours
Terças-feiras: das 19h às 22h30 – Aquecimento Central esquenta as noites de terça no centro da cidade com os DJs Zinco e Soares.

Quartas-feiras: das 19h às 22h30 – Noite do Guizado Selvagem com o trompetista que apresenta suas novas músicas e interpretações exclusivas das canções dos discos Calavera e Punx, remixadas ao vivo.
Quintas-feiras: às 20h e às 22h30 – Notas Reais: Entradas de jazz clássico ao vivo sob comando do trompetista Walmir Gil, um dos fundadores da Banda Mantiqueira.

Sextas-feiras: das 19h às 22h30 – A parada obrigatória das noites de sexta, o happy hour Mondo Cane anima os espíritos com cultura musical, afrobeats, brazucas, soul, rap, samba, com as agulhas mágicas de Nuts e MZK que a cada semana recebem convidados.
Matilha Cultural
A Matilha Cultural é uma entidade independente, instalada em um edifício de três andares, localizado no centro de São Paulo. A Matilha integra um espaço expositivo, sala multiuso e café, além de um cinema com 68 lugares. Fruto do ideal de um coletivo formado por profissionais de diferentes áreas, a Matilha foi aberta em maio de 2009 e tem como principais objetivos apoiar e divulgar produções culturais e iniciativas sócio-ambientais do Brasil e do mundo.

SISSTEMA
Até 1º de abril de 2012
De terça a domingo, exceto sábado, das 12h às 22h
Sábado das 14h às 20h

Matilha Cultural
Rua Rego Freitas, 542 – São Paulo
Tel.: (11) 3256-2636
Horários de funcionamento: De terça a domingo, exceto sábado, das 12h às 22h
Sábado 14h às 20h
Wi-fi grátis
Cartões: VISA (débito/crédito)
Entrada livre e gratuita, inclusive para cães
www.matilhacultural.com.br
Agência Lema
Leandro Matulja/ Leticia Zioni/ Larissa Marques
agencialema.com
Informações para a imprensa:
Ana Luiza Galvão +55 11 3871-0022 ramal 215
ana@agencialema.com.br

ADMIRADOR DE FERNANDO PESSOA, ESCRITOR ITALIANO ANTONIO TABUCCHI MORRE EM LISBOA



Depois de enfrentar uma longa enfermidade, o escritor italiano Antonio Tabucchi morreu no último domingo, aos 68 anos, em Lisboa, Portugal. A notícia foi divulgada pelo seu tradutor francês, Bernard Comment, que não revelou mais detalhes sobre a doença. Ele deverá ser enterrado na capital portuguesa na quinta-feira.

Considerado um dos principais escritores italianos contemporâneos, Tabucchi deixa mais de 20 livros traduzidos para mais de 40 idiomas, obras como Noturno Indiano (1984), Réquiem (1992) e Afirma Pereira (1994). No Brasil, ele foi editado pela Rocco e, mais recentemente, pela Cosac Naify, que lançou O Tempo Envelhece, em 2010.

Naquele ano, aliás, Tabucchi foi convidado para vir à Festa Literária Internacional de Paraty, a Flip, mas cancelou a vinda por problemas lombares. Reconvidado em 2011, o escritor desistiu novamente, dessa vez por motivos políticos – ele discordou da decisão da Justiça brasileira de não extraditar o ex-ativista Cesare Battisti, acusado de participar de quatro assassinatos durante a luta armada que marcou a Itália nos anos 1970.

O principal legado de Antonio Tabucchi, no entanto, é o literário. O universo de sua prosa sempre compreendeu o território da ambiguidade, do equívoco, da fabulação, da teatralidade, do avesso e da mentira. Em Réquiem, por exemplo, ele trata da morte quase que com felicidade, ao narrar a trajetória de um homem que, ao ler O Livro do Desassossego, de Fernando Pessoa, sofre uma alucinação e se vê em Lisboa, onde busca pessoas e coisas que desapareceram da sua vida. Uma espécie de Alice no País das Maravilhas em que Wonderland é a capital portuguesa.

E a menção a Pessoa não é fortuita – Tabucchi descobriu a tradução francesa do poema “Tabacaria” (assinado pelo heterônimo Álvaro de Campos) em 1962, quando estudava literatura em Paris. Fascinado, voltou à Itália, aprendeu a língua portuguesa e se tornou o principal divulgador da obra de Pessoa em seu país, iniciando uma série de visitas a Lisboa até fixar a cidade como uma de suas moradias. “Devo a Fernando Pessoa minha fé na narrativa, porque foi por meio de sua poesia que consegui construir um universo literário”, disse, certa vez, em uma de suas raras entrevistas.

FERNANDO HENRIQUE CARDOSO VISITA LULA NO HOSPITAL




O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) visitou na manhã desta terça-feira (27), no Hospital Sírio-Libanês, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O encontro durou cerca de 50 minutos e os dois conversaram, a maior parte do tempo, a sós. Segundo a assessoria de Lula, na saída, FHC comentou apenas que Lula estava bem melhor, "melhor do que ele imaginava". Esta é a primeira visita do tucano ao petista, desde que ele iniciou o tratamento contra um câncer na laringe, em 31 de outubro do ano passado.

Os dois tiraram fotos juntos e Fernando Henrique saiu sem dar declarações à imprensa. A assessoria de Lula não divulgou o teor da conversa entre os ex-presidentes, uma vez que o encontro teve caráter pessoal. Independentemente das disputas políticas entre suas legendas, eles foram parceiros de luta pela redemocratização do País e fazem questão de dar demonstrações de respeito mútuo em momentos delicados, como na morte da ex-primeira dama Ruth Cardoso, ocasião em que Lula era presidente da República e esteve no velório para prestar solidariedade a FHC.

Nesta semana, Lula deve ser submetido a exames que visam detectar se houve remissão do tumor na laringe. O petista tem ido diariamente ao hospital Sírio-Libanês para se submeter a sessões de fonoaudiologia. Após a visita de FHC, Lula retornou para a sua residência, em São Bernardo do Campo.

VIOLONISTA MÁRIO SILVA NO NEW YORK GUITAR SEMINAR


O professor da Escola de Música e Belas Artes do Paraná (Embap) Mário da Silva começou a estudar o violão em uma boa hora para o instrumento em Curitiba. Foi na década de 1980, na própria Embap, quan¬¬¬do a faculdade vivia uma efervescência de música contemporânea agitada por nomes como José Penalva (1924-2002) e Chico Mello, que influenciaram uma geração. Foi neste contexto que o violonista desenvolveu a postura aberta a experimentações que, de acordo com ele, está na raiz do convite que recebeu para participar de um dos mais importantes eventos de violão do mundo – o New York Guitar Seminar, na Faculdade Mannes (EUA), onde faz conferência, recital e master class, em junho.

Na apresentação, Silva fará um “panorama” do violão brasileiro, da tendência nacional e popular à contemporânea de vanguarda – da qual ele mesmo faz parte ao explorar as novidades sonoras das “técnicas expandidas” do instrumento. Mas os curitibanos também poderão assistir ao recital, e muito antes dos nova-iorquinos. O violonista apresenta o mesmo programa hoje, às 20 horas, no Museu Guido Viaro (R. XV de Novembro, 1.348).

A lista de participantes do New York Guitar Seminar:

• Denis Azabagic
• Cavatina Duo
• Dale Kavanagh
• Thomas Kirchoff
• Amadeus Guitar Duo
• Jason Vieaux
• Newman & Oltman Guitar Duo
• Mario Da Silva
• Jorge Caballero
• Peter Argondizza
• Mariano Aguirre
• Duo Cantabile
• Francisco Roldan
• Carlo Valte
• Stephen Goss
• Daedalus String Quartet

Saiba mais sobre a instituição e seus eventos, em:
www.newschool.edu

Serviço: Mário da Silva. Museu Guido Viaro(R. XV de Novembro, 1.348),(41) 3018-6194. Dia 27 às 20h. Entrada franca.

domingo, 25 de março de 2012

10 ARTISTAS NO INSTITUTO TOMIE OTHAKE


O Instituto Cultural Arte Brasil recebe convite para a abertura da exposição " Teimosia da imaginação/Dez artistas brasileiros", no dia 28 de março, no Instituto Tomie Othake, em São Paulo/SP.

Segundo o convite, a exposição apresenta elementos das histórias e processos criativos dos 10 artistas vivos e produzindo, através também de 1 livro e uma série de audiovisuais. Constituem portanto uma espécie de memória viva da nossa arte contemporânea e documento a ser apresentado ao público, sem o peso simbólico deste último, sendo por isso, uma mostra leve e prazerosa para ser vista por cidadãos de todas as classes e idades.


Antonio de Dedé, Aurelino dos Santos, Francisco Graciano, Getúlio Damado, Izabel Mendes da Cunha, Jadir João Egídio, José Bezerra, Manoel Galdino, Nilson Pimenta e Cícero Alves dos Santos, o Véio são os 10 artistas. Artistas que o blog vai apresentar com mais detalhes ao longo deste período para que o público conheça a arte e o artista dos nossos dias.

A exposição vai até 13 de maio:
Av Faria Lima, 201
Pinheiros SP/SP
11 2245-1900
www.institutotomieothake.org.br
instituto@institutotomieothake.org.br

LIVRO DO CLUBE DE AUTORES


www.clubedeautores.com.br

RICARDO HERZ LANÇA NOVO CD


Em maio, o violinista Ricardo Herz lança seu quarto disco:
Aqui é o meu lá

O disco, com composições inéditas, tem direção musical de Benjamim Taubkin e diversas participações especiais.

Ricardo Herz Trio é: Ricardo Herz (violino), Michi Ruzitschka (violão 7 cordas) e Pedro Ito (bateria).
O disco conta com as participações de Danilo Moraes, Joana Queiroz, Lucas dos Prazeres, João Taubkin, Benjamim Taubkin, Pepê da Silva, Renata Rosa e Hugo Linns

Patrocínio: Mangels
Apoio: PROAC - Secretaria de Estado da Cultura
Gravação: Alberto Ranellucci
Mixagem e Masterização: Ricardo Mosca
Produção executiva: Scubidu Records
Projeto gráfico e fotos: Laborg
Ass. de Imprensa: Emerson L. Silva

GRANDE FESTIVAL OSVALDO LACERDA

No próximo sábado, dia 31, às 18h30, haverá um
GRANDE FESTIVAL OSVALDO LACERDA - em homenagem aos seus 85 anos, que teria completado no dia 23 de Março .

Haverá tambem o lançamento de seu livro, inacabado, "CURIOSIDADES MUSICAIS " .
local : CULTURA INGLESA / VILA MARIANA
Rua Madre Cabrini, 413

promoção : CENTRO de MÚSICA BRASILEIRA
ingressos : R $ 10,00 e R $ 5,00 ( estudantes e terceira idade )
sócios do CMB : entrada franca
duração : 1h50

programa : - abertura por Dr. FERNANDO CUPERTINO , aluno de Osvaldo Lacerda, de 2005 a 2011
ORQUESTRA de CORDAS LAETARE - regência de MURIEL WALDMAN
Quarteto n* 1 ( transcrição do próprio autor para Orquestra de Cordas )
EUDÓXIA de BARROS - ( solos de piano ) :
Saudades de Oruro ( Valsa n* 6 )
Estudo n* 7
GILSON BARBOSA - ( oboé ) :
Improviso para oboé solo
Variações sobre "Carneirinho, carneirão" ( oboé e piano )
EUDÓXIA de BARROS ao piano
- JOSANI KEUNECKE ( mezzo Soprano ) e LENINE SANTOS ( Tenor )
acompanhados pelo pianista MARCELO PIMENTA
PROGRAMA de JOSANI KEUNECKE - mezzo soprano:
1. Bilhete àquela que ainda está por nascer (Osvaldo Lacerda / Paulo Bonfim)
2. O Menino Doente (Osvaldo Lacerda / Manoel Bandeira)
3. Canção à toa (Osvaldo Lacerda / Guilherme de Almeida)
4. Ladainha (Osvaldo Lacerda / Cassiano Ricardo)
PROGRAMA de LENINE SANTOS - tenor :
5. Duas Canções: Menina, minha menina, Trovas de Amigo (Osvaldo Lacerda / texto do folclore)
6. Minha Maria (Osvaldo Lacerda / Castro Alves)
7. A Valsa (Osvaldo Lacerda / Casimiro de Abreu)
PROGRAMA do Dueto
Josani Keunecke e Lenine Santos
ao piano: Marcelo Pimenta
8. Ponto de Mãe Sereia ( Osvaldo Lacerda / texto do folclore )

Desde já, meu muito obrigada pela sua presença .
Cordial abraço, pela Diretoria,
Eudóxia.


Diretoria :
Eudóxia de Barros - Presidente
Fernando Cupertino - Vice-Presidente
Helena Marcondes Machado - 1ª Secretária
Fernanda Iervolino Rossini - 2ª Secretária
Sergio Rossini - 1* Tesoureiro
Tomasino Castelli - 2* Tesoureiro
FILIE-SE ao CENTRO de MÚSICA BRASILEIRA ! informações na bilheteria .
Toda a obra de OSVALDO LACERDA está sendo digitalizada , a longo prazo, pela ACADEMIA BRASILEIRA de MÚSICA ( vendas@abmusica.org.br )

SOCIAL: CLASSE C CRESCE NO BRASIL

A classe social que mais cresceu nos últimos seis anos foi a C. Enquanto em 2005 a classe possuía 62,7 milhões de representantes, no ano passado, esse número passou para 103 milhões, o que revela um crescimento de 64,36% no período.

Neste intervalo de tempo, a classe C recebeu mais de 40,3 milhões de pessoas, revela a pesquisa “O Observador - Brasil 2012”, realizada pelo sétimo ano seguido pela Cetelem BGN, empresa do grupo BNP Paribas, em conjunto com a Ipsos Public Affairs, e divulgada nesta quinta-feira (22).

De 2005 a 2011, as classes AB também tiveram crescimento, passando de 26,4 milhões para 42,4 milhões, aumento de 60,61% no período. Em seis anos, 16,0 milhões de brasileiros passaram a fazer parte deste estrato da população.

Já as classes DE perderam 51,32% dos seus representantes, ou seja, mais de 47,6 milhões de brasileiros deixaram de fazer parte das classes mais baixas. Em 2005, as classes DE possuíam mais de 92,9 milhões de pessoas, já em 2011, o número caiu para 45,2 milhões.

Mudança de classe

Em 2005, 51% da população brasileira pertencia às classes DE, 34% eram da classe C e 15% das classes AB.

Na pesquisa de 2010, os dados mostraram que o desenho da estrutura social do País já tinha mudado de uma pirâmide para um losango, ou seja, a classe intermediária já era maior que a classe mais baixa.

Em 2011 não foi diferente, com predominância de brasileiros na classe C, representando 54% de toda a população e crescimento de 20 p.p. frente a 2005.
As classes AB passaram a contar com 22% da população, enquanto que as classes DE tinham 24% dos brasileiros.

Renda

Segundo o estudo, a renda familiar que mais cresceu entre 2005 e 2011 foi das classes DE, um dos motivos para a ascensão dos representantes da classe. No período, a renda do estrato cresceu 45,32%, passando de R$ 545 para R$ 792.

Em seguida aparece a renda familiar da classe C, com crescimento de 26,92% no período, passando de R$ 1.107 para R$ 1.450.

Já as classes AB foram as que tiveram o menor crescimento da renda no período, de 17,03%, passando de R$ 2.484 para R$ 2.907.

MORRE CANTOR SERTANEJO JOÁO MINEIRO



Morreu na noite deste sábado, o cantor sertanejo João Sante Angelo, 76, da dupla sertaneja João Mineiro e Mariano, no hospital Paulo Sacramento, em Jundiaí (58 quilômetros de São Paulo).

João Mineiro, como era conhecido, estava internado na UTI após uma cirurgia para retirada da vesícula.

Há 20 anos ele fazia dupla com o cantor Mariano, data que foi comemorada no ano de 2011 com a gravação de um DVD. João Mineiro fez dupla com Marciano durante 18 anos, e em 1991, decidiu seguir a carreira solo.

A assessoria do cantor informou que o velório começará na tarde deste domingo no velório municipal Adamastor Fernandes, centro de Jundiaí.

O cantor será enterrado na segunda-feira (26) em Andradas (370 quilômetros de Belo Horizonte), sul de Minas Gerais.

sexta-feira, 23 de março de 2012

O LEGADO DE CHICO ANYSIO


Ele emprestou o nome a uma cidade que deu muitas alegrias ao povo brasileiro, fundou uma escola que era uma espécie de "aula do humor", escreveu canções, participou de filmes e novelas e deu vida a personagens tão antagônicos que poderiam facilmente se relacionar entre si num imaginário país.

Síntese das gerações que produziram humor no Brasil do século XX e verdadeiramente um ator, Chico Anysio ainda me espanta pelo merecido sucesso que fez, pois não criava a piada fácil e fugia dos canônes tradicionais em que poderia ter moldado um estilo.
E muito possivelmente por isto, criou a forma" Chico Anysio" de se fazer humor. Um estilo que elevou ao nível da excelência a construção metódica dos personagens, o cuidado com o bom texto, o aprendizado com a televisão que se apresentava como um veículo a ser aperfeiçoado e o respeito à inteligência do público. Este estilo exigia um grande homem de interpretação e de criação. E o encontrou em Chico Anysio, que o fez brilhantemente em todos os momentos de sua vida artística.



A televisão mudou nas últimas décadas e aproximou-se da urgência com que a modernidade nos exige digerir informações e é claro que o humor mudou também. Lamento que estas mudanças nos façam esquecer facilmente os artistas atuais deste gênero. Mas é certo que o legado de Chico Anysio e as várias facetas do artista genial são lições a serem apreendidas por todas as gerações.

ALDO MORAES
composermoraes@hotmail.com

Prêmio JL – Nossa Gente de Londrina


O Prêmio JL – Nossa Gente de Londrina foi entregue ontem.

Na área de Educação, o projeto vencedor foi o “Musicando na Escola”, da musicista Regina Campos.

Na categoria Pesquisa e Tecnologia, o mais votado foi o professor da UEL José Lopes, com o projeto “Plano de Vigilância e Controle do Aedes aegypti”.

Na categoria Meio Ambiente, a vencedora foi a ONG E-Lixo, única que trabalha com reciclagem de material eletrônico na cidade.

O Ballet de Londrina, com mais de 500 apresentações para mais de 150 mil pessoas em 19 anos, foi o vencedor na categoria Cultura.

Na categoria Saúde, o prêmio ficou com a Bebê Clínica da UEL. Referência mundial na área de Odontopediatria, o órgão atende gratuitamente cerca de mil novos pacientes por ano.

O padre Romão Martins venceu na categoria Solidariedade. Há seis anos é pároco da Igreja Nossa Senhora Auxiliadora, onde realiza diversos trabalhos sociais.


Fonte: Jornal de Londrina
www.jornaldelondrina.com.br

INAUGURAÇÃO/CONVITE DA SECRETARIA DE CULTURA DE ROLÂNDIA

Olá, amigos da Cultura

É com satisfação que viemos através desse convidá-los para o evento de Inauguração das Churrasqueiras do Lago San Fernando.

O evento acontecerá neste sábado, 24 de março, a partir das 16 horas, às margens do referido lago, com apresentação artística.

Certos de contarmos com vossas presenças, desde já agradeço...

Abraço

Maria Luiza Muller
Secretária de Cultura de Rolândia
cultura@rolandia.pr.gov.br
www.rolandia.pr.gov.br

quinta-feira, 22 de março de 2012

TEATRO OURO VERDE



Uma reunião realizada nesta quarta-feira (21/3), em Curitiba, entre representantes da Secretaria de Estado da Cultura, da Universidade Estadual de Londrina (UEL) e do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN-PR) definiu as etapas para a reconstrução do Teatro Ouro Verde, de Londrina. Parte do edifício foi destruído por um incêndio, no dia 12 de fevereiro, causado por um curto-circuito.

Foram feitas recomendações a partir da visita técnica realizada logo após o incêndio. Muitos equipamentos, móveis e partes do prédio não foram danificados. A remoção do que sobrou deve ser feita de acordo com as normas técnicas de restauração.

A partir das indicações feitas por especialistas da Secretaria da Cultura e do IPHAN/PR, será providenciada a remoção cuidadosa dos remanescentes, além da retirada de elementos que possam ser reutilizados. Os materiais serão higienizados, embalados, armazenados e discriminados. Também será removida a estrutura metálica e escoradas as paredes ainda em pé.

O projeto deverá prever a consolidação das paredes e a recomposição dos espaços internos do edifício. Ficou agendada para a primeira semana de abril uma nova visita técnica ao Cine Teatro Ouro Verde para acompanhamento do trabalho.

Participaram do encontro a coordenadora de Patrimônio Cultural da Secretaria de Estado da Cultura, Rosina Parchen, o superintendente do IPHAN-PR, José La Pastina Júnior, e a vice-reitora da UEL, Berenice Quinzani Jordão.

DOAÇÃO - A UEL abriu uma conta bancária para que sejam feitas doações para a reconstrução do Teatro Ouro Verde.
As pessoas podem depositar qualquer quantia na agência 4113, conta corrente 14888-8, Banco Itaú.

NOVO DVD DO GRUPO DESCOBERTAS


Esse é um Making of da gravação do novo DVD do Quarteto Descobertas, grupo de Londrina que irá em abril de 2012 para sua 5. turnê de concertos em 4 países da Europa.
Esse trabalho transformou-se em um Documentário e está muito primoroso, com extremo bom gosto de edição e imagens que realmente vale a pena ver !

Muito interessante como o violinista Roney Marczak conta e narra curiosidades a respeito de sua vida com a música incluindo momentos e quadros emocionantes sobre a sua história.
São integrantes do Quarteto Descobertas: Murilo Barbosa ao piano, Filipe Barthem ao baixo e Duda de Souza na percusssão e bateria.

Enviado pelo Centro Cultural e de Integração das Artes

www.youtube.com/watch?v=zPYvRr7evwc


LANÇAMENTOS DA EDITORA É REALIZAÇÓES


GESTÁO DE ANA DE HOLLANDA É CONTESTADA

"Acho que é um desastre." Foi assim que o ex-ministro da Cultura Juca Ferreira (2008-2010) definiu, em entrevista à Folha, a gestão da sucessora Ana de Hollanda.
Ferreira se manifesta no momento em que circulam na internet dois manifestos com críticas à pasta sob Ana de Hollanda, assinados pela atriz Fernanda Montenegro e pela filósofa Marilena Chauí, entre outros. "Se me chamassem, eu assinaria", disse.
O ex-ministro diz ter "elegância acima da média e silêncio obsequioso com todas as diferenças programáticas" entre a sua gestão e a atual.

Isso não impediu que, ao longo de uma hora de conversa, Ferreira afirmasse haver críticas "em quantidade e qualidade" suficientes para constatar "retrocesso" e "ruptura" na passagem de bastão.

Hoje, Ferreira mora na Espanha com a família, onde trabalha na Secretaria Geral Ibero-Americana, órgão da Cúpula Ibero-Americana de chefes de Estado e de governo, que reúne 22 países, Brasil incluso.

Juca veio a São Paulo para o 1ª Fórum Internacional de Gestão Cultural, um ciclo de debates na Livraria Cultura que começou nesta quarta-feira (21) e vai até sexta-feira (23).

entrevista do ex-ministro:
http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/1065045-gestao-de-ana-de-hollanda-e-desastre-afirma-ex-ministro-da-cultura.shtml



FONTE: FOLHA DE SÃO PAULO
MATHEUS MAGENTA
ANNA VIRGINIA BALLOUSSIER


CINEMA PERDE TONINO GUERRA

O escritor e poeta italiano Tonino Guerra, um dos roteiristas mais importantes do cinema e que trabalhou com diretores como Federico Fellini, Michelangelo Antonioni, Vittorio De Sica e os irmãos Taviani, faleceu no dia 21 de março aos 92 anos em sua residência em Rimini, região central da Itália.

Ele ganhou fama como roteirista de três obras clássicas: Amarcord (Oscar de melhor filme estrangeiro em 1975), de Fellini, Blow Up – Depois Daquele Beijo, de Antonioni, e Casanova 70, de Mario Monicelli, pelos quais foi indicado ao Oscar.

FLÁVIO PERALTA, UM VENCEDOR

Flávio e Jane Peralta, ele ex-eletricista e que superou as dificuldades por acidente no trabalho, estarão na Rádio Paiquerê AM, no dia 24/3, sábado, às 11 horas, para um debate com os jornalistas da emissora.

Hoje ele é um importante palestrante, reconhecido nacionalmente na abordagem da prevenção de acidentes no trabalho. Ela é mestre em educação e idealizadora do site amputados vencedores.

Saiba mais sobre o trabalho do casal:
www.amputadosvencedores.com

Saiba mais sobre este e outros programas da emissora londrinense:
www.paiquere.com.br

DIA MUNDIAL DA ÁGUA

O "Dia Mundial da Água" foi criado pela Assembléia Geral da Organização das Nações Unidas através da resolução A/RES/47/193 de 21 de Fevereiro de 1993, declarando todo o dia 21 de Março de cada ano como sendo o Dia Mundial das Águas (DMA), para ser observado a partir de 1993, de acordo com as recomendações da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento contidas no capítulo 18 (Recursos hídricos) da Agenda 21.

A primeira lembrança musical que nos vem à tona é a canção abaixo:

Planeta Água
Guilherme Arantes


Água que nasce na fonte
Serena do mundo
E que abre um
Profundo grotão
Água que faz inocente
Riacho e deságua
Na corrente do ribeirão...

Águas escuras dos rios
Que levam
A fertilidade ao sertão
Águas que banham aldeias
E matam a sede da população...

Águas que caem das pedras
No véu das cascatas
Ronco de trovão
E depois dormem tranqüilas
No leito dos lagos
No leito dos lagos...

Água dos igarapés
Onde Iara, a mãe d'água
É misteriosa canção
Água que o sol evapora
Pro céu vai embora
Virar nuvens de algodão...

Gotas de água da chuva
Alegre arco-íris
Sobre a plantação
Gotas de água da chuva
Tão tristes, são lágrimas
Na inundação...

Águas que movem moinhos
São as mesmas águas
Que encharcam o chão
E sempre voltam humildes
Pro fundo da terra
Pro fundo da terra...

Terra! Planeta Água...

Água que nasce na fonte
Serena do mundo
E que abre um
Profundo grotão
Água que faz inocente
Riacho e deságua
Na corrente do ribeirão...

Águas escuras dos rios
Que levam a fertilidade ao sertão
Águas que banham aldeias
E matam a sede da população...

Águas que movem moinhos
São as mesmas águas
Que encharcam o chão
E sempre voltam humildes
Pro fundo da terra
Pro fundo da terra...

Terra! Planeta Água...


MAIS SOBRE O ARTISTA:

www.guilhermearantes.com.br
www.guilhermearantes.net
www.guilhermearantes.uol.com.br
www.planetaguilhermearantes.com

quarta-feira, 21 de março de 2012

21 DE MARÇO: DIA INTERNACIONAL DE LUTA PELA ELIMINAÇÃO DA DISCRIMINAÇÃO RACIAL

No dia 21 de março de 1960, na cidade de Joanesburgo, capital da África do Sul, 20 mil negros protestavam contra a lei do passe, que os obrigava a portar cartões de identificação, especificando os locais por onde eles podiam circular.

No bairro de Shaperville, os manifestantes se depararam com tropas do exército. Mesmo sendo uma manifestação pacífica, o exército atirou sobre a multidão, matando 69 pessoas e ferindo outras 186. Esta ação ficou conhecida como o Massacre de Shaperville. Em memória à tragédia, a ONU – Organização das Nações Unidas – instituiu 21 de março como o Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial.

O Artigo I da Declaração das Nações Unidas sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Racial diz o seguinte:

"Discriminação Racial significa qualquer distinção, exclusão, restrição ou preferência baseada na raça, cor, ascendência, origem étnica ou nacional com a finalidade ou o efeito de impedir ou dificultar o reconhecimento e exercício, em bases de igualdade, aos direitos humanos e liberdades fundamentais nos campos político, econômico, social, cultural ou qualquer outra área da vida pública"

ENTREVISTA DO CINEASTA WERINTON KERMES PARA O BLOG ARTE BRASIL




1) Werinton Kermes quero primeiro te cumprimentar pelo histórico e competente trabalho que fez sobre Clementina de Jesus. É um prazer ter você falando com o público que acompanha nosso blog. Poderia nos contar um pouco sobre sua trajetória?


R. Quando criança, tinha um fascínio por imagens, às quais eu via em revistas velhas que uma família rica doava para eu e meus irmãos podermos estudar. Vinham Nacional Geographic, Seleções, Revista Manchete e outras das quais eu não me recordo, e eram publicações com imagens de um mundo e de um planeta terra que me deixavam fascinado. Havia reportagens de lugares e personalidades.

Lembro-me de uma destas revistas na qual havia um ensaio fotográfico da produção de charutos em Cuba, uma com fotos de Sebastião Salgado em Serra Pelada, no auge da extração de ouro naquela região, uma sobre a guerrilha no Araguaia, e biografias como a do Capitão Carlos Lamarca, que desertou do exército brasileiro e foi para luta armada. O poeta argentino Borges, o Manoelzão, que inspirou Guimarães Rosa na obra os Grande Sertão Veredas, e tudo isto ia me ajudando na minha formação.

Como sou filho de tecelão com uma empregada doméstica e minha adolescência e infância eram de um outro Brasil, de muito menos oportunidades de estudar em uma universidade, principalmente pública, o que era para poucos, percebi que jamais poderia vivenciar aquilo tudo que eu degustava nas páginas das revistas, a menos que eu pudesse ser uma daquelas pessoas que produzisse as tais imagens.
Na Cidade onde moro e nasci (Sorocaba), há um jornal, o Diário de Sorocaba. Eu ainda menino fui pedir emprego como fotógrafo.

O jornalista e proprietário, senhor Vitor de Luca, a quem devo a primeira oportunidade, me disse que fotógrafo não era função para moleque, mas que eu poderia ser auxiliar de laboratorista. Agarrei esta oportunidade e três anos mais tarde eu já estava nas ruas da cidade como repórter fotográfico. Daí em diante, deixei Sorocaba e fui contratado em jornais como O Estado de São Paulo, Folha de São Paulo, Diário Popular e até revistas. Tive o prazer de ter reportagens fotográficas minhas publicadas em Veja , Isto é, Marie Clair, e aquele sonho de infância de estar em lugares e estar com ídolos se tornou realidade. Estive com Fidel Castro, com Borges, Bob Dilan, com Betinho por várias vezes. Irmã Dulce, frei Damião, Clementina de Jesus e Raul Seixas, entre outros.

E neste trabalho de repórter fotográfico, conheci muita gente, principalmente do meio cultural, sobretudo do cinema brasileiro. Nas minhas horas de folga, era contratado para ser fotógrafo de cinema e foi aí que percebi que o que eu fazia com a fotografia era documentário, só que estático, e que o cinema nada mais é do que fotografia (24 por segundo). Resolvi dar movimento às minhas imagens - são 51 documentários e 1 ficção.

2) Conte-nos como é o seu processo de criação, como escolhe os temas que vai documentar?

R. A arte para mim é momento de vida, e ser documentarista não é profissão, é paixão e forma de contribuir com a conscientização das pessoas. Procuro definir os temas com aquilo que me aflige e me preocupa naquele momento. No início dos anos 80, dirigi um documentário chamado Aramar, a quem pertence que tratava da questão das usinas nucleares no Brasil, pois a questão de Chernobil e o césio 117 de Goiânia mexeu muito comigo. Como venho do jornalismo diário, sempre me preocupei mais com o tema e com o que eu quero mostrar do que propriamente com o roteiro. Fazia imagens e colhia depoimentos e depois montava de uma forma jornalística, mas com aquele jeito cinematográfico.
Hoje, como não milito mais no jornalismo, tenho uma produtora ( Provocare Cinema e vídeo ) e uma parceria com Míriam Cris Carlos, que faz todos os roteiros.




3) Você documentou João do Vale. Como foi o processo de busca de imagens e depoimentos, já que você foi até às origens deste grande compositor?

R. João do Vale foi umas das coisas mais significantes que aconteceram na minha vida. Era uma daquelas pessoas que eu via nas revistas e me inspiravam, pois pobre, negro, saiu de um lugar longe e estava nas revistas ao lado de Chico Buarque, Nara Leão, Fagner.

Em 94, participei do festival de Cinema de São Luiz do Maranhão, com um documentário que era uma biografia de uma velha comunista do interior de São Paulo, chamada Salvadora Lopes. E quando terminou a exibição, uma moça se aproximou e me perguntou se eu não queria fazer um documentário com um cantor maranhense que estava passando por momentos difíceis, tanto financeiros como de saúde e que um documentário seria muito bom para levantar a autoestima dele.

A princípio achei que fosse alguém ligado às questões folclóricas do estado, pois o Boi é um elemento cultural muito forte, e os puxadores das músicas do Boi são muito respeitados. Mas foi quando ela me falou, é o João do Vale, o homem do Carcará. Fiquei meio sem ação, achando até que era exagero por parte dela, só para eu fazer o documentário e assim realizar um desejo pessoal dela, pois era inadmissível que João do Vale estivesse no estado que ela me descrevia, morando de favor no fundo de uma clínica e sem dinheiro até para remédios. Voltei para São Paulo com aquilo na cabeça. Nos anos 90 a Internet ainda era coisa para poucos brasileiros.

Tive dificuldade em checar, mas consegui, com amigos do Rio de Janeiro, perceber que a informação era real. João do Vale, aquele negro que vendeu mais de 10 milhões de discos, estava passando por necessidades básicas. Esta mulher que me procurou, hoje é uma grande amiga, Francisca Alencar. Ela solicitou ajuda da Universidade do Maranhão para as passagens aéreas e fui para Pedreiras, e constatei com os meus próprios olhos o estado deplorável em que estava um poeta, um gênio da arte brasileira. E de uma coisa Francisca tinha razão, mais do que dinheiro para remédio, João precisava ter sua autoestima resgatada.

E o documentário João do Vale, Muita Gente Desconhece, teve este papel. Após o filme, João estava muito melhor reconhecido, principalmente pela população da cidade de Pedreiras, que não se dava conta do filho que tinha. Ele me ligava frequentemente para dar notícias do tipo “o Edu Lobo me ligou porque viu o filme e achou massa”... “Vamos fazer um filme do Largo da Onça”... (quilombo onde João Nasceu). Acredito que João morreu muito melhor e com a autoestima elevada.

Ele era um artista, e qual artista não é vaidoso de sua obra...

ENTREVISTA COM O CINEASTA WERINTON KERMES/II




4 ) Você tem acompanhado o cinema de curtas e documentários? O que tem visto?

R. Olha, dentro do possível, vejo sim. Criei um festival de cinema no interior de São Paulo, na cidade de Votorantim. Está na 9ª edição e a cada ano recebemos aproximadamente 600 trabalhos e percebo que diferente da década de 80, hoje alguns elementos fazem a diferença: primeiro a tecnologia - os suportes, os preços de equipamentos estão muito acessíveis.

Você grava no celular. As faculdades de Comunicação estão aí aos montes, dando no mínimo base teórica para esta geração. Mas por outro lado sinto a falta do guerrilheiro cultural, o militante, aquele que primeiro faz e depois vai se preocupar com a questão financeira. Esta agora é uma geração de incentivos culturais, de editais, de leis, de Ministério da Cultura, de ANCINE; são profissionais do audiovisual, de mercado e não de militância.

Mas por outro lado eu entendo. Ninguém tem que viver em função das preocupações com aquilo que acontece ao seu redor. É que quando eu produzia e não tinha condições, eu tinha dois problemas: o primeiro era conseguir fazer, e o outro era mostrar. Diferente de hoje, que você tem um Youtube, que você faz de manhã e à tarde você já teve no mínimo 100 acessos, ou seja, foram 100 pessoas que você provocou de alguma maneira com o seu trabalho. Hoje o Canal Brasil é um espaço fabuloso.

Há as TVs Comunitárias; são mais de 120 pelo Brasil todo. Há um volume enorme de coisas sendo produzidas, mas há um número reduzido de trabalhos feitos com consciência dos efeitos que um produto audiovisual, com a enorme visibilidade que existe hoje, pode gerar de reflexão, de consciência e até de transformação.

5 ) Em sua formação, quais diretores você considera uma influência em sua carreira ?

R. Sou jornalista de formação teórica e prática. Fui para a universidade com 36 anos me formei com 40. Hoje tenho quase meio século. Estou com 48. Minhas inspirações, primeiro, foram aquelas revistas todas de que falei no início da entrevista.

Há muito tempo fui ao cinema ver um filme porque o titulo me chamou muito a atenção. Era Cabra Marcado para Morrer, e foi um soco no meio da minha barriga, Este filme era de um sujeito chamado Eduardo Coutinho e ele teria levado 20 anos para finalizar o filme. A partir daí, passei a beber desta fonte. Hoje é lugar comum, mas o Coutinho realmente é um daqueles que não tem como não se apaixonar pela obra e pela pessoa. Mas tem outros com o João Jardim, João Batista de Andrade, Walter Salles, Valter Carvalho e tem diretores de ficção que são maravilhosos como Jaco Van Dormael, Akira Kurosawa, e Fritz Lang.

Enfim, tem muita gente que nos inspira e não só gente que tem a mídia a seu favor, mas às vezes, aquela senhora que vende tempero na feira-livre, o cobrador do ônibus, o garçom simpático, o pescador de um litoral qualquer deste Brasil afora, enfim, é só ter olhar para além daquilo que estamos condicionados a ver que vamos encontrar inspiração e gente que vai nos ajudar a pensar melhor a nossa existência.




6) Sei que você tem uma equipe valorosa. Fale-nos dos seus colaboradores.

R. Tenho sim. São pessoas que estão comprometidas e têm os mesmos ideais. São elas hoje que me dão condição de executar idéias e muitas vezes as idéias vêm delas. A Miriam Cris Carlos, além de minha esposa é Doutora em Comunicação e Semiótica e é quem organiza todas as idéias antes de se gravar. O Jorge Silva (Jorge da Matta) é fotógrafo que topa qualquer parada.

O Marcelo Domingues, além de ser um cineasta de muita sensibilidade, é quem edita e dá forma aos nossos trabalhos e a jornalista Luciana Lopez é produtora e assessora de imprensa. Sem ela seria difícil dar visibilidade a nosso trabalho, pois não fazemos parte do seleto time de diretores brasileiros que tem a seu dispor verbas e visibilidade. Audiovisual não é um exercício solitário. O diretor é uma peça dentro de um processo e eu gosto muito disto: socializar é sempre bom, até no trabalho.

Aldo
Agradeço a oportunidade. São espaços como este que ainda faltam para semear idéias e levar os interlocutores a uma reflexão.

Sou um entusiasta dos novos meios, mesmo ainda não dominando tudo da Internet, pois vejo nela a possibilidade de uma comunicação democrática e alternativa, e você vem cumprindo este papel de extrema importância. Parabéns!

* O blog do diretor: www.werintonkermes.blogspot.com

GESTOS PARA PIANO É DESTAQUE EM RÁDIO DA ITÁLIA

A Rádio taukay, da Itália, acaba de confirmar a peça GESTOS para piano solo, de Aldo Moraes, como integrante fixa de sua programaçáo de música erudita.

Escrita em 1995, GESTOS foi premiada e gravada no VII Encontro de Compositores Latino-Americanos, em Porto Alegre, em 2001, com Sandra Morh ao piano.

terça-feira, 20 de março de 2012

LIVRO GRANDES DISCURSOS EM PEQUENAS FRASES



João Paulo da Rocha, org

As palavras são neutras, cabe ao portador dar-lhes o sentido. Assim foram feitos grandes discursos, para grandes ou medíocres ideais.

Esta pesquisa, feita no ano de 2010 com os alunos de 2010, teve com foco analisar alguns dos marcantes discursos do século XX.

Grandes humanitários, políticos, ditadores, utilizaram a força das palavras para suas causas. Não procuramos analisar a qualidade ou o mérito do discurso; apenas sua importância à luz da História do século passado e apresentá-los de forma prática e resumida.

MOSTRA DE ARTES VISUAIS DE TOLEDO

A Secretaria Municipal de Cultura informa que a 3ª MOSTRA DOS ARTISTAS VISUAIS DE TOLEDO, marcada abertura para 20 de março, às 20h, no Hall do Teatro Municipal de Toledo.

A mostra ficará em exposição até o dia 22/04, na II Virada Cultural, sendo o horário para visitação das 8h30 às 11h30 e 13h30 às 17h30.

FESTIVAL FEMUCIC 2012

Intérpretes, compositores e músicos de todo o Brasil terão até o dia 26 de março para efetuar inscrição para a 34ª edição do Femucic (Mostra de Música Cidade Canção), que será realizado em Maringá, de 23 a 26 de maio.

A mostra, promovida pelo Sistema Fecomércio Sesc Senac Paraná, Prefeitura de Maringá e RPC TV, é um evento de referência na produção, na técnica e na pedagogia musical brasileira.

O Femucic não tem caráter competitivo e proporciona aos músicos uma participação cordial, criações conjuntas e troca de experiências e, ao público, a formação de ouvintes musicais. Além disso, contribui para o desenvolvimento da produção musical do Estado do Paraná e das diversas regiões do País, e é um meio de difusão e valorização da cultura.

Segundo o regulamento, são aceitas composições instrumentais de diversos gêneros, além de canções dos mais variados estilos, a exigência, porém, é que as obras sejam em língua portuguesa ou no idioma indígena. As músicas devem ser originais, brasileiras e não podem ter sido apresentadas em edições anteriores do Femucic.

Caberá à Comissão Organizadora selecionar no mínimo 52 músicas de acordo com a originalidade e singularidade do trabalho, inovação, qualidade artística e técnica, adequação do trabalho à proposta estilística do Femucic e a capacidade de circulação do artista e divulgação em mídias digitais, sendo que cada participante deverá, obrigatoriamente, inscrever três músicas para a mostra. Estão previstas para esta edição do evento, as gravações do quarto DVD e do 17º CD da mostra e a participação de técnicos de música do Sesc de todo o Brasil.

Uma novidade para este ano é aumento no valor da ajuda de custo, concedida aos músicos, por mobra selecionada. Para os músicos do Paraná, o valor por música seleciona será de R$950,00 e para os oriundos de outros estados, R$1.100,00. O Sesc PR também se responsabiliza pela hospedagem e alimentação dos músicos.

A inscrição para o Femucic 2012 é gratuita e deverá ser realizada até o dia 26 de março, exclusivamente pelo site www.sescpr.com.br.

Informações adicionais podem ser obtidas pelo e-mail maringa@sescpr.com.br, no site www.sescpr.com.br, ou pelo telefone (44) 3262-3232.

Serviço:
34ª edição do Femucic (Mostra de Música Cidade Canção)
Prazo para inscrições: até 26 de março de 2012
Realização do Femucic: de 23 a 26 de maio de 2012, em Maringá
Inscrições: www.sescpr.com.br
Informações: (44) 3262-3232